18 de setembro de 2021 Atualizado 19:29

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

POLÍCIA

Homem é preso suspeito de matar mulher em Hortolândia, em 2018

Vítima foi assassinada quando saía de casa para trabalhar, no Jardim Estrela, às 6h30 de uma segunda-feira

Por Pedro Heiderich

27 jul 2021 às 20:18

Um homem foi preso nesta terça-feira (27) em Hortolândia, suspeito de matar uma mulher em 2018. A vítima, a operadora de telemarketing Jennifer dos Santos Leite, de 29 anos, foi assassinada quando saía de casa para ir trabalhar, às 6h30 de uma segunda-feira.

Policiais prenderam o acusado pelo crime quando ele tentava fugir – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Ela foi abordada por um homem, que atirou contra ela. O caso era investigado pela Polícia Civil de Hortolândia. A suspeita desde o início é de feminicídio, por indícios de envolvimento entre o suspeito e a vítima.

Desde então, mais de três anos depois, o homem ainda não tinha sido localizado.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

A operadora de telemarketing foi morta no dia 11 de junho, na esquina de casa, no bairro Jardim Estrela. Ela estava a caminho do trabalho quando foi atingida por três disparos, na cabeça, no peito e no pescoço. O autor do crime fugiu em seguida.

Na ocasião, populares chamaram o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), mas ela não resistiu até a chegada do socorro. Nada foi levado da vítima. A Polícia Civil esteve no local, junto da perícia, e passou a investigar o caso.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

A reportagem questionou a idade e profissão do suspeito preso nesta terça-feira (27) à SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo) e em que bairro de Hortolândia ele foi localizado, mas não obteve respostas.

A pasta informou apenas que o caso foi esclarecido com a prisão do autor. O delegado João Jorge, responsável pelo caso, não quis dar detalhes.

Mais informações e como o caso foi solucionado seriam divulgadas somente na manhã desta quarta-feira (28), pelo próprio delegado.

Publicidade