04 de junho de 2020 Atualizado 19:43

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

covid-19

Com mudança em metodologia, suspeitas aumentam 34% em Hortolândia

Município passou a contabilizar como suspeitos os casos leves, em que não há indicação para coleta de sangue

Por Marina Zanaki

08 abr 2020 às 14:52 • Última atualização 08 abr 2020 às 14:56

A Prefeitura de Hortolândia alterou a forma como contabiliza os casos suspeitos do novo coronavírus (Covid-19) e o número de notificações aumentou 34% entre segunda (6) e terça-feira (7). Os pacientes com suspeita para a doença saltaram de 97 para 130. O boletim mais recente foi divulgado às 22h de terça-feira.

Clique aqui e se inscreva no nosso canal do Telegram e receba as notícias no seu celular!

Segundo a prefeitura, houve uma mudança na notificação dos casos seguindo orientação da Secretaria Estadual de Saúde. Até então, estavam sendo contabilizados apenas os casos com indicação para coleta de sangue, como pacientes internados e profissionais de saúde. Com isso, nos casos leves não havia coleta para exame e eles não eram contabilizados como suspeitos.

De acordo com o governo municipal, “a partir de agora, todos os casos são contabilizados como suspeitos, tanto com casos leves, sem coleta de exame, como os que têm indicação de coleta de exame”.

Saiba tudo sobre o coronavírus, o que ele provoca e como se prevenir

Com a mudança na metodologia, Hortolândia passa a ter 130 casos em investigação, dos quais 87 estão em isolamento domiciliar aguardando resultado de exame; 10 estão internados e aguardam resultado de exame; e 33 são casos leves sem coleta de material biológico, mas que estão em isolamento domiciliar.

A cidade tem ainda três casos confirmados, dos quais dois estão em isolamento domiciliar e um já recebeu alta médica.

Exames

A restrição na coleta de exames ocorre desde o final de março por determinação do Estado de São Paulo. O objetivo é otimizar os testes disponíveis, já que não há capacidade para atender toda a demanda. Atualmente, São Paulo tem 17 mil exames aguardando resultado. Para evitar a subnotificação, algumas cidades criaram um sistema próprio de notificação que inclui como suspeitos todos os pacientes que apresentam sintomas, mesmo aqueles que não têm indicação de coleta de sangue.