02 de março de 2021 Atualizado 00:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Covid-19

Em Campinas, vacinação completa um mês e chega a 6% da população

Município aplicou vacina em 71,9 mil pessoas até agora, segundo dados do governo estadual

Por Milton Paes

18 fev 2021 às 17:31

Campinas completou nesta quinta feira (18) um mês de vacinação contra a Covid-19. A técnica de enfermagem Liane Santana Mascarenhas Tinoco, de
49 anos, natural da Bahia, e que trabalha no Hospital das Clínicas da Unicamp, recebeu a primeira dose e deu início à imunização na metrópole no dia 18 de janeiro.

Em 30 dias, Campinas tem 71.927 pessoas vacinadas, segundo o vacinômetro do governo do Estado, o que corresponde a cerca de 6% de sua população, estimada em 1.213.792, de acordo com a última atualização do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Além da segunda dose para os profissionais de saúde, Campinas mantém a aplicação da primeira para idosos com 85 anos ou mais. No entanto, a diretora do Departamento de Vigilância Epidemiológica (Devisa), Andréa Von Zuben, afirmou que caso o município não receba mais doses da vacina até a próxima semana, a campanha terá de ser interrompida.

Acompanhe a cobertura do LIBERAL sobre Campinas

A aplicação em Campinas acontece em dois locais de imunização: Centro de Vivência do Idoso no Parque Taquaral e Escola Municipal Caic Vila União.

Não é necessário um novo agendamento para a segunda dose porque, ao receber a primeira, a pessoa já sai com a data marcada para ir até o local completar o esquema vacinal. A CoronaVac tem um espaço de 28 dias entre as duas aplicações.

Para que a pessoa comece a reunir anticorpos contra a Covid há necessidade de aplicação das duas doses, portanto, com a aplicação apenas da primeira dose ainda permanecem as ações de uso da máscara, higienização constante das mãos com água e sabão e o uso do álcool em gel.

A partir desta quinta feira (18), os profissionais de saúde contemplados com a vacina são: médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem, cirurgiões dentistas, técnicos de análises clínicas e motoristas de ambulância que atuam em serviços de saúde, mas sem atendimento direto ao coronavírus. No dia 11 de fevereiro, os trabalhadores da linha de frente começaram a receber a segunda dose no próprio local de trabalho.

Na quarta-feira, a cidade deu início à aplicação da segunda dose da vacina contra a Covid-19 para demais profissionais de saúde da cidade, ou seja, que não estão na linha de frente, mas foram contemplados com a primeira dose no fim de janeiro.

Cenário

A cidade completa um mês de vacinação em meio a um cenário que preocupa autoridades de saúde, pelo avanço da transmissão, das internações e dos óbitos. A taxa de transmissão do coronavírus está em 1,2, ou seja, cada 100 infectados transmite o vírus para 120 pessoas.

Publicidade