20 de junho de 2024 Atualizado 00:54

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Rodaben processa cinco por ofensas na internet

Presidente da Câmara de Americana pede indenizações que somam R$ 74,8 mil por danos morais

Por George Aravanis

08 de junho de 2019, às 08h45

O presidente da Câmara de Americana, Luiz da Rodaben (PP), processou cinco pessoas por comentários que ele considerou ofensivos no Facebook. Quatro ações foram impetradas no dia 30 de maio e uma ontem. Em cada processo, Rodaben pede indenização de 15 salários mínimos por danos morais (R$ 14.970, num total de R$ 74.850). Ele também solicita que as pessoas se retratem em redes sociais e em jornal de circulação local.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal.JPG
Presidente da câmara acionou a Justiça devido às ofensas na rede

Os comentários foram feitos em publicações de reportagens do LIBERAL e de sites de notícias da cidade sobre assuntos envolvendo o presidente da câmara, como a construção do novo prédio do Legislativo e a possibilidade de pagamento de 13º salário para vereadores.

Algumas das pessoas processadas, três mulheres e dois homens, xingam Rodaben nos comentários em que ele baseou as ações – todas as publicações foram feitas neste ano. Outras fazem insinuações sobre a probidade do presidente do Legislativo. A advogada dele nas ações, Isabela Moura Juliano, aponta que houve injúria e difamação.

“Não dá para ir numa rede social, atrás de qualquer computador, digitar um monte de coisa e ficar por isso mesmo”, disse o vereador ao LIBERAL.

Desde o começo do ano, o presidente da câmara tem discutido com outros parlamentares a possibilidade de processar os chamados “leões de teclado”. Vários vereadores já manifestaram, durante sessões na câmara, revolta com o que consideram publicações ofensivas no Facebook.

Rodaben informou, nas ações distribuídas ao Judiciário, que não tem interesse em conciliação. “Induzir algumas pessoas a pensarem que o Luiz é algo, eu não quero, de forma alguma eu aceito isso.”

O LIBERAL conseguiu contato com uma das mulheres acionadas na Justiça. Ela afirmou que só fez questionamentos e que, ao usar um termo que Rodaben considerou ofensivo, não escreveu o nome dele.

Publicidade