12 de julho de 2020 Atualizado 19:18

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

298 queixas

Queixas de poluição sonora quadruplicam em Americana

Na maioria das vezes, reclamação acontece à noite e é por causa de música alta em imóveis de Americana, explica a Gama

Por George Aravanis

29 Maio 2020 às 08:08 • Última atualização 29 Maio 2020 às 08:50

O número de denúncias de poluição sonora praticamente quadruplicou desde o início da quarentena em Americana. De 1º de abril até 20 de maio, a Gama (Guarda Municipal de Americana) recebeu 298 queixas. No mesmo período do ano passado, foram 75. A alta é de 297,3%.

A maioria das reclamações refere-se a música alta em imóveis, de acordo com a corporação.

Gama realiza a fiscalização em Americana; autarquia também vem promovendo orientação sobre isolamento social – Foto: Arquivo / O Liberal

O instrutor de policiamento Willian Scarazatti, da Gama, informou ao LIBERAL, por meio da assessoria de imprensa, que o aumento pode ter relação com o isolamento social, já que há mais pessoas em casa, mas que não tem como garantir que esta seja a causa.

A corporação ressaltou, porém, que grande parte dos casos acontece à noite, ou seja, em um horário em que a maioria das pessoas estaria em casa mesmo sem a quarentena.

Quando a Gama recebe denúncias, envia patrulheiros para medir o som proveniente do imóvel alvo da reclamação com decibelímetros.

Na primeira vez, o infrator recebe uma advertência. Na segunda, a multa é de 30 Ufesps (Unidades Fiscais do Estado de São Paulo), o equivalente a R$ 828,30. Quando o som é proveniente de veículo, a multa é de R$ 1.139,56, segundo a Lei do Silêncio Urbano.

Multas

No mesmo período de 1º abril a 20 de maio, a quantidade de multas por poluição sonora cresceu de 26 para 30 entre 2019 e 2020 – o que não significa que a irregularidade não tenha sido constatada, já que na primeira infração a pessoa é apenas advertida.

De acordo com o inspetor Cícero Cabral, que atua neste tipo de caso, em apenas cerca de 20% das situações que ele atende a irregularidade não é constatada.

Segundo Cabral, mesmo com o isolamento social, é comum a Gama flagrar grande número de pessoas reunidas em garagens, “onde sempre há um excesso de volume de som e algazarra”.

Por causa disso, a Gama também orienta os moradores, nestes casos, sobre a necessidade de garantir o distanciamento para evitar a disseminação da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Podcast Além da Capa
Solidariedade e apoio aos necessitados marcam a luta contra o novo coronavírus (Covid-19) nas periferias da RPT (Região do Polo Têxtil). O LIBERAL visitou moradores do acampamento Roseli Nunes e da favela Zincão, em Americana, e da ocupação Vila Soma, em Sumaré, e observou como eles se unem para enfrentar as dificuldades provocadas pela pandemia. Nesse episódio, o editor Bruno Moreira recebe o repórter André Rossi, que esteve nas comunidades, para repercutir essa apuração.