07 de agosto de 2022 Atualizado 18:55

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

APÓS CONFUSÃO

Prefeitura de Americana publica demissão de Dr. Daniel e Adriana

Médicos foram desligados oficialmente nesta terça, conforme consta no no Diário Oficial

Por Rodrigo Alonso

22 de junho de 2022, às 14h01

Casal acusa o governo Chico Sardelli de perseguição política - Foto: Reprodução / Facebook

A Prefeitura de Americana oficializou, no Diário Oficial desta quarta-feira (22), a demissão dos médicos Daniel Cardoso, vereador pelo PDT, e Adriana Cardoso. Os dois, que são casados, foram alvos de uma sindicância que apurava uma confusão ocorrida em janeiro, dentro do Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi.

Conforme consta na publicação, o casal foi oficialmente desligado da administração municipal nesta terça. No entanto, a exoneração, que segue uma recomendação da comissão sindicante, já estava prevista em um documento divulgado por Adriana no último dia 6, nas redes sociais.

A confusão que motivou as demissões também envolveu o então presidente da Fusame (Fundação Saúde de Americana), Douglas Henrique Magalhães Ferreira – hoje, ele está na Utransv (Unidade de Transportes e Sistema Viário). Há relatos, inclusive, de agressões.

Em depoimento à sindicância, testemunhas afirmaram que, em meio a uma discussão generalizada, Adriana ofendeu e deu tapas no ex-presidente da Fusame.

Dr. Daniel teria acusado Douglas de assédio à esposa, e, segundo depoimento, proferido ofensas e dado uma cotovelada no ex-dirigente da fundação.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O estopim para esse tumulto, de acordo com a sindicância, seria o fato de Adriana ter  “deixado seu posto de trabalho para ‘visitar’ paciente que era tratado/monitorado por outro colega de trabalho, conforme declarado em seu depoimento”. Durante o entrevero, a médica ligou para o marido para que ele fosse até o local, para defendê-la.

Entre os documentos juntados e analisados pela comissão sindicante, tem um laudo que aponta lesões corporais de natureza leve em Douglas.

Desafetos do governo Chico Sardelli (PV), os médicos acusam a prefeitura de perseguição política, alegação dada por eles no processo administrativo, e também se dizem vítimas de agressões no episódio.

Outro lado
Em contato com a reportagem, Adriana disparou contra o prefeito. “Prefeito injusto e ditador. Ele beneficia pessoas do grupo que o ajudou a ser eleito independente de ética e moral. Não dá saúde à população, e sempre iremos lutar pela população. E vamos recorrer”, afirmou. Ela também apontou que, “se a sindicância fosse séria”, a prefeitura teria exonerado Douglas.

Também procurado pelo LIBERAL, Dr. Daniel ainda não se manifestou sobre o assunto.

Câmara
O presidente da Câmara Municipal, Thiago Martins (PV), disse ainda não ter tido conhecimento formal sobre a exoneração dos médicos.

Porém, ele já havia dito anteriormente que, quando recebesse um comunicado oficial sobre o assunto, encaminharia o caso para o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar. Existe a possibilidade, segundo o vereador, de Dr. Daniel perder o mandato.

Publicidade