19 de maio de 2024 Atualizado 18:43

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Festa de Santo Antônio

O santo casamenteiro que inspira a fé

Batizado com o nome de Fernando, o santo tem muitos devotos por conta dos milagres

Por Ana Carolina Leal

11 de maio de 2024, às 09h36 • Última atualização em 13 de maio de 2024, às 18h39

No Brasil, é comum fazer simpatias e novenas para o santo - Foto: Marcelo Rocha_Liberal

Santo Antônio, conhecido carinhosamente como o “Santo Casamenteiro”, nasceu com o nome de Fernando em Lisboa, Portugal, no dia 15 de agosto de 1195, o que também lhe rendeu o título de Santo Antônio de Lisboa.

Filho de Martinho de Bulhões e Thereza de Távora, pertencentes a famílias nobres e prósperas de Portugal, desde a infância demonstrou vocação religiosa, dedicando-se à oração.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Aos 15 anos, ingressou na Ordem dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho, primeiro no Convento de Lisboa e depois no Convento de Santa Cruz, em Coimbra. Após receber as ordens sacras, nove anos mais tarde, se juntou aos Franciscanos no Convento de Olivares, onde adotou o nome de Antônio, em homenagem ao convento.

“Santo Antônio é o santo mais conhecido no mundo. Em qualquer lugar do mundo é possível encontrar alguma referência a Santo Antônio, alguma paróquia”, comenta o reitor e pároco do Santuário Basílica de Santo Antônio de Pádua de Americana, Valdinei Antonio da Silva.

📲 Entre no grupo de WhatsApp do LIBERAL com informações sobre quermesses em Americana e região

O padre atribui essa devoção universal ao santo à sua inteligência. “Ele possuía uma capacidade extraordinária. Graças a essa inteligência, ele escreveu sermões e livros que foram fundamentais na formação do clero. A formação dos padres era baseada nos ensinamentos de Santo Antônio”.

Faça parte do Club Class, um clube de vantagens exclusivo para os assinantes. Confira nossos parceiros!

MILAGRES. A vida do santo foi marcada por inúmeros milagres, sendo um dos mais conhecidos a ressurreição de uma criança afogada. Em Bourges, na França, uma mãe desesperada procurou Santo Antônio após a tragédia, e ele, sem que ela pudesse contar o ocorrido, instruiu-a a “procurar pelas maçãs”, onde encontraria seu filho.

Ao retornar para casa, ela encontrou a criança ilesa, alimentando-se de maçãs, sem nenhum sinal do acidente. Esse milagre resultou na construção de uma igreja para perpetuar o acontecimento.

O santo também é bastante requisitado por aqueles que desejam casar e constituir uma família, por isso o apelido carinhoso de santo casamenteiro. Reza a lenda que uma jovem desesperada, incapaz de encontrar um marido, recorreu a Santo Antônio na época em que vivia em Pádua, em busca de ajuda.

Em resposta às suas preces, o santo teria lhe indicado um homem que deveria se tornar seu esposo. Esse fato foi interpretado como um milagre e, desde então, Santo Antônio passou a ser invocado como padroeiro dos solteiros em busca de matrimônio.

No Brasil, é comum a prática de simpatias e novenas dedicadas a Santo Antônio, como a famosa “simpatia do Santo Antônio de cabeça para baixo”, onde a imagem do santo é virada de cabeça para baixo até que o pedido seja atendido.

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região!

MORTE. Santo Antônio faleceu em 13 de junho de 1231, aos 36 anos, no Convento das Clarissas em Dell’Arcella, próximo de Pádua. Os milagres ocorridos em seu túmulo foram tão notáveis que o Papa Gregório IX o canonizou no dia de Pentecostes do ano seguinte, 30 de maio de 1232. 

As notícias do LIBERAL sobre Americana e região no seu e-mail, de segunda a sexta

* indica obrigatório

Publicidade