26 de maio de 2024 Atualizado 20:10

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

meio ambiente

Funcionários da Coden são presos por crime ambiental

Eles foram liberados após o pagamento de fiança no valor de R$ 1.420

Por Cristiani Azanha

20 de fevereiro de 2024, às 07h50 • Última atualização em 20 de fevereiro de 2024, às 12h18

O diretor técnico da Coden Ambiental (Companhia de Desenvolvimento), Rean Gustavo Sobrinho e a responsável técnica da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Quilombo, em Nova Odessa, a engenheira química Camila Jorge Gomes, foram presos por crime ambiental, nesta segunda-feira (19), após uma denúncia de despejo de esgoto in natura no Ribeirão Quilombo.

Coleta de água em três situações distintas apontou problema – Foto: Polícia Civil / Divulgação

Eles são investigados pelo 4º DP de Americana e foram colocados em liberdade após o pagamento de uma fiança no valor de R$ 1.420. 

O delegado Filipe Rodrigues de Carvalho, que coordena a apuração, explicou que há dez dias esteve no local e identificou o despejo aparente de esgoto in natura.

“Fizemos imagens de drone do local e nesta data retornamos e mais uma vez constatamos que o despejo continuava sem nenhum tipo de tratamento”, afirmou.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

De acordo com o delegado, os investigados foram responsabilizados pois deveriam tomar alguma medida ou acionar os superiores para resolverem o problema.

“Na segunda etapa da investigação será apurada a destinação dos recursos para o tratamento de esgoto”, completou delegado.

Segundo a Polícia Civil, os investigados deram versões contraditórias sobre o motivo do problema.

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região!

A perícia do IC (Instituto de Criminalística) de Americana foi acionada e teria confirmado que estaria ocorrendo o despejo de esgoto sem nenhuma espécie de tratamento químico, ou direcionado à estação de tratamento.

Os agentes também constataram forte odor característico no curso do ribeirão, em direção a Americana.

Ainda houve a coleta do esgoto que aporta na estação, da água já tratada e da água dispensada no local investigado, apurando-se tratar de três situações distintas, ou seja, que realmente havia esgoto in natura, diluído, sendo descartado. Os laudos deverão ficar prontos em 30 dias.

OUTRO LADO

Em nota, a Coden Ambiental disse que vai analisar detalhadamente as informações disponíveis e o funcionamento da ETE Quilombo, e tomar todas as medidas que se mostrarem necessárias para adequar eventuais insuficiências que vierem a ser detectadas, caso alguma inadequação nos processos e equipamentos venha a ser confirmada.

As notícias do LIBERAL sobre Americana e região no seu e-mail, de segunda a sexta

* indica obrigatório

Publicidade