26 de junho de 2022 Atualizado 19:12

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Covid-19

Entidades estudam campanha por ida consciente ao comércio em Americana

Objetivo é evitar novas aglomerações, especialmente no Calçadão central

Por

11 de junho de 2020, às 09h02

Diante da possibilidade da região regredir para a fase 1 (vermelha) do Plano São Paulo, entidades estudam intensificar as campanhas pela ida consciente ao comércio de Americana.

O objetivo é evitar novas aglomerações como as que foram registradas no Calçadão central durante o primeiro sábado de reabertura.

De acordo com o presidente do Sincomércio (Sindicato dos Lojistas e Comércio Varejista de Americana, Nova Odessa e Santa Bárbara d’Oeste), Vitor Fernandes, os empresários estão cumprindo as medidas sanitárias, com o fornecimento de álcool em gel e limite de clientes no espaço.

Entretanto, existe a preocupação com a grande quantidade de pessoas que se deslocaram até o comércio para passear, e não consumir. O cenário foi relatado por lojistas e pela Acia (Associação Comercial e Industrial de Americana).

“Estamos programando para fazer [uma campanha] de conscientização do povo. Isso foi discutido com os secretários de Desenvolvimento Econômico de Americana e Nova Odessa. Chegamos a conclusão de que devemos e vamos começar a conscientizar o povo porque ele está desesperado. Vai todo mundo no mesmo horário. Estamos preocupados e não podemos deixar isso acontecer, sairmos dessa faixa [2, laranja]”, comentou Fernandes.

O presidente da Acia, Wagner Armbruster, ponderou que é compreensível que as pessoas queiram sair de casa e passear depois de tanto tempo em quarentena. Porém, reforçou a orientação para que a população não se desloque em grupos e que vá ao comércio apenas se for necessário.

“Nós temos orientado os nossos comerciantes, a população, para que de fato tenha cuidado e zelo com a saúde. Vamos reforçar esse trabalho”, disse Wagner.

Podcast Além da Capa
A pandemia do novo coronavírus completa três meses com a certeza de representar o maior desafio da carreira de gestores públicos em saúde, como é o caso dos secretários que atuam em cidades da região. Nesse episódio, o editor Bruno Moreira conversa com os responsáveis pelas pastas em Americana, Santa Bárbara e Nova Odessa sobre a experiência forjada pela crise.

Publicidade