26 de maio de 2024 Atualizado 20:10

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Empresa é interditada em Americana por condições precárias de higiene e contaminação do solo

Gerente do local foi preso e 300 toneladas de açúcar foram apreendidas no Loteamento Industrial Abdo Najar

Por Paula Nacasaki

24 de agosto de 2023, às 10h10 • Última atualização em 24 de agosto de 2023, às 11h56

A empresa empacotadora e distribuidora de açúcar Dezam Gêneros Alimentícios, que fica no Loteamento Industrial Abdo Najar, na região do Antônio Zanaga, em Americana, foi interditada pela Vigilância Sanitária nesta quarta-feira (23), por causa de condições precárias de higiene e também de contaminação do solo.

O órgão foi acionado pela Polícia Civil e o gerente do local foi preso por conta da ocorrência. Além disso, 300 toneladas de açúcar foram apreendidas.

Dezam Gêneros Alimentícios, fica no Loteamento Industrial Abdo Najar – Foto: Marcelo Rocha / Liberal

Segundo informações do boletim de ocorrência, por volta de 13h30, Policiais Civis do setor de investigação do 1° DP (Distrito Policial) foram ao local, na rua da Seda Natural, e lá encontraram diversas máquinas compressoras de ar com vazamentos de óleo no solo.

Além disso, existia também fiação de alta voltagem próxima a pallets de madeira, trazendo risco de incêndio.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Os agentes foram recebidos pelo gerente da empresa e, durante a fiscalização, encontraram diversas embalagens em condições precárias de higiene, guardadas inclusive em banheiros.

No chão havia detritos desconhecidos com cor escura, segundo o boletim de ocorrência.

A Vigilância Sanitária foi acionada e então interditou a empresa. De acordo com o órgão, a Dezam possui condições precárias de higiene, além do ato contínuo de contaminação do solo, ocasionado pelo vazamento constante de máquinas. Houve ainda a interdição total e a aplicação de uma multa.

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região.

O gerente relatou aos policiais que trabalha na empresa há quatro anos, sendo que neste período ele era responsável pelas atividades desta unidade.

Segundo ele, a indústria distribui o açúcar para diversos estados, mas não soube detalhar quais, afirmando apenas que a Dezam é responsável por abastecer três marcas comerciais.

Além disso, o homem contou que a proprietária mora em Minas Gerais, mas não foi possível encontrá-la no momento da ação policial.

Autuado

Devido ao seu envolvimento, o homem foi autuado em flagrante por crime contra a relação de consumo e por causar poluição de qualquer natureza. Ele ficou preso.

Os materiais que estavam nos caminhões foram recolhidos – 300 toneladas de açúcar, além de dois caminhões utilizados para o transporte.

As ações foram conduzidas pelo setor de investigações do 1° DP (Distrito Policial), tendo a chefia do delegado Filipe Rodrigues de Carvalho.

A reportagem do LIBERAL tentou falar com os representantes da empresa, porém todas as ligações caíram na caixa postal.

Publicidade