27 de fevereiro de 2021 Atualizado 00:17

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Covid-19

Em reunião com Chico, empresários de Americana pedem flexibilização do Plano SP

Empresários se preocupam com aumento de restrições; prefeitura diz que não pode desrespeitar decreto estadual

Por Heitor Carvalho

25 jan 2021 às 13:16 • Última atualização 25 jan 2021 às 17:41

Donos de bares e restaurantes da UGA (União Gastronômica de Americana) tiveram uma reunião com o prefeito Chico Sardelli (PV) durante a manhã desta segunda-feira (25) sobre as novas restrições impostas pelo Plano São Paulo.

O grupo pediu flexibilização no horário de fechamento dos estabelecimentos. A prefeitura, no entanto, disse que não tem poder para desrespeitar o decreto estadual.

Chico Sardelli durante a reunião com os empresários, na sede da prefeitura – Foto: Prefeitura de Americana / Divulgação

Pelas regras do Plano São Paulo, todo Estado de São Paulo entra na fase vermelha das 20h às 6h em dias úteis e durante todo o dia aos sábados, domingos e feriados. Nesses períodos, podem funcionar apenas os serviços essenciais. Por isso, os estabelecimentos como bares e restaurantes têm que fechar às 20h durante a semana.

Nos demais períodos, valem as regras da fase laranja. A principal mudança é que os comércios e serviços em geral poderão funcionar por 8 horas diárias, com redução a 40% da capacidade dos espaços.

As restrições devem prosseguir até, pelo menos, 7 de fevereiro.

Sobrevivência

Paulo Oliveira, 54 anos, é proprietário de um restaurante na Vila Medon e diz que as solicitações feitas ao governo municipal são uma questão de sobrevivência do setor.

“Nosso tipo de comércio não tem condição de sobreviver fechando às 20h. Até 22h é um horário pelo menos aceitável. Nós sabemos dos riscos da pandemia, mas não podemos ser culpados pelo resultado onde essa situação chegou”, afirmou.

Renan Avancini, 32 anos, possui um bar na Vila Jones. Ele também lamentou as imposições da fase vermelha sobre o horário de funcionamento e a venda de álcool nos estabelecimentos.

“Quem vai para bar vai mais para beber. Acaba comendo, mas não é igual um restaurante. E 20h é o horário em que começo a ter movimento. Se puder pelo menos vender bebida alcoólica até às 22h, já seria bom”, comentou.

Determinação estadual

Na saída do encontro, o prefeito Chico Sardelli disse ao LIBERAL que a reunião foi muito boa, mas que precisa resguardar a segurança de saúde pública do município, apesar de ser solidário às pautas dos comerciantes.

“Eu nunca escondi de ninguém que sempre tive uma atuação na abertura do comércio e continuo com a mesma visão. Mas, como prefeito, preciso respeitar o que determina a lei”, afirmou.

O secretário de saúde, Danilo Carvalho Oliveira, também afirmou que entende a demanda dos empresários e que a administração quer estabelecer um diálogo com setor, mas que não pode alterar o que diz o Plano São Paulo.

“Nós seguimos um plano que é determinação do Governo do Estado. Qualquer alteração nesse plano deve ser feita através do próprio governo estadual. Nós não temos uma diretriz legal para poder fazer mudanças”, concluiu.

A reunião ocorreu na sede da Prefeitura de Americana e teve início por volta de 10h20, como duração de cerca de uma hora.

Além do prefeito, o vice-prefeito, Odir Demarchi; o chefe de gabinete, Franco Ravera Sardelli; o secretário de Governo, Jesuel de Freitas; e o secretário de Saúde, Oliveira, receberam o grupo. O vereador Léo da Padaria (PV), que é comerciante, também participou da reunião.

Podcast Além da Capa
São 11 novos vereadores em Americana a partir deste ano na comparação com a legislatura que terminou em 2020. Falamos sobre o desenho que se apresenta na atuação dos parlamentares e a relação com a pandemia da Covid-19 nesse contexto.

Publicidade