29 de junho de 2022 Atualizado 12:02

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Após pedido de aumento de tarifa, passageira denuncia superlotação e redução de linhas de ônibus

Enquanto usuários reclamam da precariedade do transporte público, Sancetur quer valor da passagem a R$ 10,24

Por Ana Carolina Leal

17 de maio de 2022, às 07h51

Prefeitura estuda aumentar subsídio à concessionária para segurar o aumento na tarifa dos ônibus - Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Menos de uma semana depois de o proprietário da Sancetur, concessionária que opera o transporte público por meio da Sou Americana, Marco Antônio Chedid, anunciar que pretende reajustar a tarifa para R$ 10,24 caso a prefeitura não eleve o subsídio, o LIBERAL recebeu na manhã desta segunda um vídeo que mostra um ônibus superlotado, inclusive pendendo para um dos lados devido ao excesso de passageiros.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

A situação revoltou a recepcionista Ana Carolina Rodrigues Botasso, 24, que pegou o coletivo da linha 213. De acordo com ela, o ônibus saiu da Balsa às 6h40 e passou no Parque Gramado por volta das 7h35, já lotado.

“Tiraram uma linha da Balsa via Hospital Municipal na parte da manhã. O ônibus chegou no Parque Gramado superlotado, não cabia mais gente, inclusive minha mãe foi pendurada na porta. É uma falta de respeito com o trabalhador, principalmente diante das notícias de que a empresa pretende reajustar a tarifa para R$ 10,24”, desabafou.

Segundo a recepcionista, a superlotação fez com que alguns passageiros descessem do ônibus porque começaram a passar mal. “Vi duas mulheres, uma delas grávida, descendo antes do destino porque não suportaram a lotação”, acrescentando que a população tem reclamado das linhas e da precariedade dos veículos que passam no Parque da Liberdade e Jardim da Paz.

Em nota, a Sancetur afirmou que o cenário é reflexo dos sucessivos aumentos no preço do óleo diesel e insumos que englobam o custo do transporte, sendo inevitável o reajuste da tarifa que já está muito defasado. O valor da passagem, hoje, é R$ 4,70.

“O preço público pago pelo usuário é o município que vai decidir. Estamos aguardando uma resposta da prefeitura sobre nosso pedido de realinhamento”, encerra a nota da empresa.

A prefeitura, por sua vez, informou via assessoria que ainda não há uma definição sobre a negociação da tarifa com a Sancetur. Sobre a situação relatada pela usuária, a Unidade de Transportes e Sistema Viário tomou ciência do caso e já entrou em contato com a empresa para tratar do assunto.

Publicidade