03 de dezembro de 2020 Atualizado 00:17

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Americana

Acia divulga lista com 33 demandas para a próxima gestão na prefeitura

Entre os itens estão a melhoria nos serviços de água e esgoto, reforma e ampliação da ETE Carioba e revitalização da área central

Por Marina Zanaki

23 out 2020 às 15:16

Uma lista com 33 demandas do comércio, indústria e serviços para a próxima gestão municipal foi divulgada nesta sexta-feira pela Acia (Associação Comercial e Industrial de Americana).

O documento será encaminhado aos nove candidatos à Prefeitura de Americana e a associação espera uma posição sobre cada um dos itens.

O documento foi elaborado após um processo de escuta de empresas associadas e contou com apoio de outras entidades, representadas pelo Sincomércio e Fórum de Desenvolvimento e Cidadania de Americana.

Esta é a primeira vez que a Acia divulga uma lista de necessidades e expectativas para a gestão municipal. Segundo o presidente Wagner Armbruster, a medida foi possível pois foi observada uma abertura dos candidatos para as demandas da associação.

A Acia espera que os candidatos se posicionem até o dia 30 de outubro sobre cada um dos 33 itens, no sentido de se é possível ou não – e por quê –, além de buscar um compromisso dos candidatos. Essas respostas serão compiladas e divulgadas. Wagner destacou que a principal demanda é diálogo com o poder municipal.

“Nossas indústrias, comércios e prestadores de serviços, que tanto geram riqueza e bem estar, muitas vezes sofrem por decisões não muito claras, não muito esclarecidas e debatidas com a comunidade. Queremos sim participar, porque somos nós que geramos riqueza para a cidade”, declarou o presidente.

Ele afirmou, durante a coletiva de imprensa para a apresentação do documento, que Americana perdeu empresas e empregos pois faltou capacidade de enxergar a sociedade como “um grande centro cirúrgico”, onde o uso de máscaras é obrigatório.

Veja as propostas:

1 – Criação da Secretaria de Desenvolvimento Econômico;
2 – DAE. Quanto ao Departamento de Água e Esgoto de Americana, a maioria significativa espera pela privatização ou adoção de formato de gestão independente que privilegie a eficiência, em detrimento de ingerências políticas negativas, para que a autarquia definitivamente solucione os graves problemas que perduram há várias gestões. O pleito se deu em razão de décadas de enorme insatisfação com os serviços prestados e podem ser elencados em sete frentes:
– Atendimento, na maioria das vezes, pouco amistoso e sem um compromisso efetivo na busca da melhor solução para a empresa / empresário cliente;
– Lentidão no atendimento dos serviços diversos, principalmente os relacionados a vazamentos nas ruas por dias a fio, gerando enorme desperdício;
– Realização de reparos nos buracos de calçadas e ruas, decorrentes de vazamentos e afins, sem a utilização de boa técnica, ocasionando deformidades em seu trânsito;
– Contínua falta d’água e frequentemente por períodos demasiadamente alongados;
– Péssima qualidade da água, costumeiramente apresentada com aspecto de suja / barrenta;
– Ausência de tratamento adequado do esgoto.
– Condução ineficaz e descumprimento das contrapartidas assumidas no projeto em parceria com o consórcio de empresas para construção da ETE CARIOBA.
3 – Correção da forma de cobrança do consumo mínimo de água para atividades de baixo consumo, como pequenos comércios e os prestadores de serviços em geral;
4 – Implantação urgente das obras de reforma e ampliação da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Carioba. A realização dessas obras é condicionante para que dezenas de empresas têxteis tenham a renovação das licenças de operação pela Cetesb. Qualquer problema que afete o funcionamento das tinturarias comprometerá também centenas de tecelagens e, consequentemente, os empregos que essas indústrias geram.
5 – Fazer levantamento/estudo de próprios públicos para privatização ou redução de despesas;
6 – Mudança da atual forma da cobrança da coleta do lixo, considerando a atividade do gerador do lixo e não vinculado à área ou testado das instalações ou de lote de terreno do gerador;
7 – Participação da Prefeitura na governança do APL (Arranjo Produtivo Local) Têxtil e de Confecção, e aporte financeiro para realização de projetos e programas que envolvem, por exemplo, capacitação profissional, pesquisas em tecnologia e inovação;
8 – Apoio institucional e financeiro para a realização de feiras industriais de abrangência nacional e internacional, com parceria da Fidam, e incentivo ao turismo de negócios;
9 – Criação de uma espécie de “Zona Franca”, envolvendo polos industriais de transformação, centros de pesquisa e desenvolvimento, lazer e cultura”;
10 – Reorganização da Zona Azul, reduzindo a abrangência e respeitando as vagas para idosos na proporção deste público consumidor;
11 – Manutenção dos feriados já existentes, com o veto a eventuais tentativas de criação de novos feriados;
12 – Projeto social com a finalidade de tirar e proibir pedintes nas ruas, em especial nos semáforos, e de conscientização da população para não dar esmolas, mas doar para as entidades filantrópicas; inclusive, através de projetos das entidades da sociedade civil, como o ACIA DO BEM;
13 – Projeto de combate à informalidade, tais como camelôs e feiras;
14 – Fiscalização quanto à acessibilidade dos passeios públicos (calçadas);
15 – Reestabelecer, imediatamente, o valor das RPV (Requisições de Pequeno Valor) em 15 salários mínimos;
16 – Desenvolver estudo de economia de energia no sistema de iluminação pública, utilizando-se LED. Não a simples troca, mas um projeto de iluminação pública que leve a um aumento da qualidade da iluminação, sem desperdício, e, portanto, um aumento indireto da segurança;
17 – Desonerar o município dos elevados custos do Hospital Municipal, através de parcerias com Faculdades de Medicina ou por outra forma de cessão e rescisão dos contratos com as OS;
18 – Solução definitiva para os alagamentos/escoamentos de águas pluviais tais como: próximo ao Mercado Municipal, próximo à Rodoviária, região próxima ao início da Av. São Jerônimo, Rua das Paineiras na chegada da Av. Brasil, Rua Florindo Cibin mesma localização e etc.;
19 – Implantação da reciclagem de todos os resíduos sólidos gerados no município antes do descarte;
20 – Revisão do PDDI, em especial para preservação das nascentes localizadas no pós-Represa e a redução de adensamento urbano e destinação para polo de desenvolvimento econômico da cidade;
21 – Revitalização da área central;
22 – Estudo para envolvimento urbanístico da cidade em áreas que, apesar de centrais, apresentam sinais de degradação: Região da Rua Carioba desde a linha férrea até final do Bairro Cordenonsi, Vila Conserva, Vila Rasmussen, Vila Rehder, Vila Jones; com isso, criando oportunidade de moradia em locais onde a infraestrutura, se não é ótima, já existe (com isso ocupando-se vazios urbanos em detrimento de novos empreendimentos nem sempre viáveis para o município como um todo);
23 – Transporte Urbano – Sistema integração, com a criação de um terminal auxiliar do lado oposto da ferrovia ao que hoje existe, fazendo com que o trânsito pela região central da cidade flua melhor;
24 – Dois novos viadutos para transpor a linha férrea/Ribeirão Quilombo;
25 – Transposição da SP 304, no final da Rua São Salvador, aliviando o trânsito da Av. Cillos; Av. Iacanga; Av. Brasil e adjacência e duplicação da passagem da Rua D. Pedro sob a SP-304;
26 – Sistema Viário macro: envolvendo o Estado de São Paulo e a transposição da Via Anhanguera;
27 – Criação da interligação entre Avenida Nossa Senhora de Fátima e Avenida Bandeirantes;
28 – Criar de forma definitiva o Parque Linear do Ribeirão Quilombo com a extensão da marginal do lado do bairro Nova Americana até SP-304;
29 – Solução definitiva para a despoluição da Gruta Dainese;
30 – Fomentar junto aos demais municípios da Região Metropolitana de Campinas a criação de “Plano de Desenvolvimento Integrado Duodecenal”, envolvendo variáveis como: Melhoria e integração da Malha Viária; Estudo de criação de alternativas de transporte, inclusive através de malha metropolitana de ferrovias;
31 – Nomeação dos Secretários Municipais por critérios técnicos, dando preferência para profissionais da cidade e atuação nas áreas de competência do Estado (Segurança, Saúde, Educação, Trânsito e Mobilidade Urbana) assistidas por técnicos especializados em cada uma delas;
32 – Capacitação de equipe técnica para desenvolver e aprovar projetos para trazer verbas dos governos Estadual e/ou Federal;
33 – Criação de um Comitê Gestor do Município, com participação da sociedade civil, para deliberar sobre o planejamento da cidade para os próximos 20 anos.

Publicidade