26 de junho de 2022 Atualizado 00:09

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Chico Sardelli estuda fórmula para lojas pagarem Área Azul a clientes

Essa medida, segundo o prefeito de Americana, seria uma forma de os estabelecimentos atraírem consumidores

Por Rodrigo Alonso

09 de abril de 2022, às 09h10

rea Azul no Centro presidente da Acia disse que entidade não consultou lojistas sobre tema - Foto: Claudeci Junior - O Liberal.JPG

O prefeito Chico Sardelli (PV) disse que estuda maneiras de flexibilizar as cobranças da Área Azul digital em Americana. Uma possibilidade, segundo ele, é criar meios para que as lojas possam pagar o estacionamento aos clientes.

Essa medida seria uma forma de os estabelecimentos atraírem consumidores. Chico contou que já esteve reunido com comerciantes para tratar do assunto.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Ele citou a sugestão nesta sexta, durante participação no programa Liberal no Ar, da Rádio Clube (AM 580), após ter sido questionado por um ouvinte sobre a Área Azul. “São algumas alternativas que nós estamos vendo para poder melhorar o ‘handicap’”, comentou o prefeito.

Presidente da Acia (Associação Comercial e Industrial de Americana), Wagner Armbruster afirmou que, por enquanto, na associação, houve somente comentários a respeito disso. “Só isso. Não foi feita uma consulta aos comerciantes, não foi nos trazido como proposta”, declarou ontem.

De acordo com ele, como a entidade ainda não realizou um estudo junto aos lojistas, ainda não se pode dizer se essa ideia é viável ou não.

Administrada pela Estapar, a Área Azul concentra suas vagas na região central, onde outras mudanças também são estudadas pelo Poder Público e entidades comerciais.

O vereador Gualter Amado (Republicanos) chegou a sugerir, por exemplo, a abertura de ruas no calçadão, questão que gerou debates. Depois, em março deste ano, Chico anunciou a criação de um grupo de trabalho responsável por estudar alternativas que fomentem o comércio do Centro da cidade.

“Nós estamos buscando todas as alternativas possíveis. Não são poucas. Às vezes, enfrentamos a resistência de pessoas que têm posicionamento contrário. Respeitamos. Mas estamos trabalhando, não perdemos de vista”, ressaltou o prefeito.

A administração também enviou à câmara, nesta semana, um projeto de lei que prevê alterações no PDFU (Plano Diretor de Desenvolvimento Físico Urbanístico), entre elas uma flexibilização quanto à exigência de recuos em estabelecimentos comerciais.

Se a proposta for aprovada pelo Legislativo, a prefeitura deixará de exigir recuos frontais em imóveis localizados no calçadão e adjacências, desde que o uso do espaço seja para fins econômicos, com comprovada geração de emprego.

Publicidade