27 de fevereiro de 2024 Atualizado 11:06

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Celebridades

Momento de união

Primeiro fruto do núcleo de filmes dos Estúdios Globo, “Ritmo de Natal” celebra o amor em meio às diferenças

Por GERALDO BESSA_TV PRESS

15 de novembro de 2023, às 15h00

Por muitos anos, o antigo Projac -– famosa sigla para Projeto Jacarepaguá, como era conhecido o complexo de estúdios da Globo – foi utilizado de forma exclusiva para a produção de séries e novelas da emissora. Propagando cada vez mais a unificação da empresa como Grupo Globo que, além da tevê aberta, abarca os canais pagos e o streaming, os Estúdios Globo agora têm seu próprio núcleo de filmes.

“Estamos unindo nossa expertise e recursos em mais uma frente de produção de conteúdo para nossas plataformas. E, ao mesmo tempo, muito abertos a avaliar as propostas de toda a comunidade criativa, da Globo e do mercado”, defende Amauri Soares, diretor dos Estúdios Globo.

Sob a direção artística de José Luiz Villamarim e produção de Raphael Cavaco, a iniciativa foi integrada à Diretoria de Gênero e Dramaturgia e tem a meta de produzir até seis filmes por ano. O primeiro fruto da ação é o longa natalino “Ritmo de Natal”.

Com previsão de estreia nos cinemas e no Globoplay para o final de novembro e exibição na tevê aberta como especial de fim de ano, “Ritmo de Natal” é uma comédia romântica criada e escrita por Juan Jullian e Leonardo Lanna que conta a história de amor shakespeariana de Mileny, a cantora de funk do momento, e Dante, um violinista clássico, papéis de Clara Moneke e Isacque Lopes.

O casal enfrenta grandes provações para passar o primeiro Natal juntos, com suas famílias de universos completamente distintos. Mileny é filha de Soraya e MC Barbatana, um dos casais mais populares da velha guarda do funk carioca, interpretados por Vilma Melo e Paulo Tiefenthaler. Já Dante é filho da consagrada pianista Inês, de Taís Araújo. O choque cultural e as diferenças de personalidade entre os membros das famílias trazem uma série de conflitos à tona, o que impacta na relação dos pombinhos.

“Colocar pessoas de mundos diferentes para conviver em uma mesma casa é a metáfora que encontramos para mostrar que o Natal é justamente essa época em que devemos enxergar muito mais o que nos une do que aquilo que nos separa”, acredita Leonardo Lanna.

Filmado em apenas três semanas entre os últimos meses de setembro e outubro, o longa vem sendo idealizado desde o mês de julho e aproveitou o bom momento de Moneke, que roubou a cena em “Vai na Fé”, maior sucesso recente do horário das sete em muitos anos, para defini-la como protagonista da história. Especialmente feliz por ter sido o primeiro nome pensado pelos autores para interpretar a cantora de funk, a atriz mergulhou em um intenso e curto processo de preparação, onde precisou fazer aulas de canto e dança, e ainda gravou uma música inédita em estúdio.

O longa marca o reencontro profissional entre Clara e Isacque, que se conheceram nos bastidores de “Vai na Fé”, onde ele viveu o protagonista Benjamin nas muitas cenas de flashback. “A história do filme é emocionante e acredito que a mensagem sobre a aceitação das diferenças é pontual para a época do Natal, onde esses confrontos acontecem muito”, avalia Isacque.

Feliz com o elenco que reuniu para a empreitada, a ideia do diretor Allan Fiterman era promover um encontro de gerações entre Clara e Taís. Além da boa sintonia das atrizes em cena, ele confessa que se emocionou de verdade durante a gravação das sequências mais dramáticas envolvendo a dupla.

“Acho muito interessante unir as duas. A Clara está despontando agora, é uma atriz muito carismática, tem um brilho próprio, e a Taís Araujo é uma estrela brasileira. Ter ambas nesse filme divertido, leve e emocionante é um presente de Natal para todo mundo”, elogia.

Mesmo acostumada ao jogo de cena de produções mais densas, ela assume que o texto e a movimentação de uma sequência em especial acabaram por fazê-la chorar de fato. “Tive um pequeno descontrole de tanta emoção (risos). É um diálogo sobre passado e futuro, e minha personagem avalia todo o caminho dela, passa a rever os valores. É um momento lindo entre as duas”, detalha Taís.

Publicidade