Pessoas que não estão no grupo de risco

Pacientes submetidos a cirurgia bariátrica e metabólica, que perderam peso, melhoraram sua saúde e mantêm acompanhamento, não estão no grupo de risco


A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) reforça que pessoas que foram submetidas ao tratamento cirúrgico da obesidade não estão no grupo de risco. Estes pacientes colhem os benefícios fisiológicos e metabólicos da perda de peso como o controle e até remissão do diabetes, hipertensão e melhora da função pulmonar.

O Covid-19 é mais perigoso para as pessoas que são portadoras de doenças crônicas, entre elas, as ocasionadas pela obesidade como, por exemplo, hipertensão, cardiopatias e doenças respiratórias. Os pacientes submetidos a cirurgia bariátrica e metabólica, que perderam peso, melhoraram sua saúde.

Foto: Adobe Stock
O paciente que passou pela cirurgia perdeu peso, reduziu as doenças associadas e teoricamente está com mais saúde

Segundo dados do governo da China compilados pela OMS (Organização Mundial da Saúde), entre as pessoas saudáveis, a taxa de mortalidade é de cerca de 1%. Já entre pessoas com doenças crônicas esse índice sobe para cerca de 13%. Outras pesquisas têm mostrado resultados igualmente alarmantes.

“De maneia geral, indivíduos com doenças crônicas, como problemas no coração, hipertensão e problemas respiratórios — muitos deles associados à obesidade — uma vez infectados, correm um maior risco de exibir complicações sérias, se comparado a uma pessoa saudável”, declarou Marcos Leão Villas Bôas, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica.

No entanto, esse “privilégio” não é apenas para o coronavírus. Qualquer infecção terá mais chances de afetar gravemente pacientes com enfermidades que comprometem as defesas do organismo.

DIABETES

Os pacientes com Diabetes também estão entre os grupos mais vulneráveis ao novo coronavírus por dois motivos principais: excesso de glicose no sangue e tendência a inflamação – essas duas condições impedem que o sistema imunológico responda adequadamente a infecções por vírus e bactérias.

Além disso- segundo os Relatórios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde quem tem diabetes está entre os mais suscetíveis à Covid-19, porque devido ao sistema imunológico mais comprometido, alguns sintomas da infecção por corona demoram a aparecer.

PACIENTES BARIÁTRICOS

Em contrapartida, pacientes que passaram pela cirurgia e tiveram uma perda de peso significativa não são considerados grupo de risco.

Segundo Marcos Leão, os cuidados dos pacientes bariátricos devem ser os mesmos de uma pessoa normal — não ser os pacientes com idade avançada que, assim como os demais devem redobrar os cuidados.

“O paciente que passou pela cirurgia perdeu peso, reduziu as doenças associadas e teoricamente está com mais saúde. Sua respiração, sistema fisiológico e metabolismo estão melhores do que se estivesse ainda com a obesidade. Os benefícios da cirurgia bariátrica são importantes no enfrentamento de qualquer epidemia”, comenta.

O cirurgião também alerta que o paciente bariátrico ou metabólico deve manter o acompanhamento com seu médico e demais especialistas da equipe multidisciplinar para checar os níveis de vitaminas e minerais no organismo, entre outros fatores de ordem clínica.

“Ao invés de ficar apavorado, sentindo-se expostos à doença, é importante que o paciente avalie a sua reposição vitamínica e faça uma consulta de revisão. Esse é o momento para se revitalizar e ganhar força. Recomeçamos que todos estejam em dia com suas revisões, pois isso também é importante para enfrentar o COVID-19”, explica Leão.

Dicas da SBCBM

•Faça o seu tratamento da forma correta
•A continuidade do tratamento, além de aumentar a sua imunidade, evita as idas às unidades de saúde por causa de complicações da doença crônica
•Alimente-se bem e mantenha-se ativo. Lave as mãos com frequência e use álcool em gel quando disponível
•Evite aglomerações
•Evite cumprimentar as pessoas com apertos de mãos, abraços ou beijos
•Os principais sintomas são febre, tosse contínua e dificuldade para respirar.
•Procure hospital apenas se sentir estes sintomas.

Cuidados específicos para diabéticos

•Controlar a glicemia (índice de açúcar no sangue)
•Dieta balanceada e atividade física constante
•Tomar vacinas para outras infecções virais e bacterianas.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora