26 de maio de 2024 Atualizado 12:01

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Bem-Estar

Tem dormido mal ou anda sofrendo com insônia? A culpa pode estar na sua alimentação

Por Erika Ricci - Maximasp

22 de abril de 2024, às 15h47

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) aponta que 72% dos brasileiros têm doenças relacionadas ao sono, entre elas a insônia. São inúmeros os efeitos que uma noite mal dormida causa ao organismo, mas ao invés de buscar a raiz do problema, muita gente prefere maquiar e recorrer aos remédios que vão desde os “naturais”, como a base de passiflora ou melatonina, vendidos sem receita nas farmácias, até os sedativos tarja preta.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Só que muitas vezes, o problema poderia ser amenizado ou resolvido observando hábitos comuns do dia a dia, como a alimentação. A nutricionista Ana Paula Braun explica: “Dormir bem é essencial para quem está no processo de emagrecimento ou manutenção do peso. Tem muita gente que chega ao consultório contando que, apesar de estar fazendo tudo certo, voltou a ganhar peso e eu vou logo perguntando sobre a rotina de sono”, conta.

De acordo com a especialista em nutrição funcional, um dos erros mais comuns é comer muito no jantar porque isso faz com que o corpo acelere o metabolismo para digerir os alimentos e transformá-los em energia para o corpo, prejudicando o sono, que não vai ser tranquilo como deveria. O ideal é distribuir bem as refeições ao longo do dia, começando por um super café da manhã e reduzindo à noite, com preferência por opções mais leves e de fácil digestão. “O problema é que as pessoas estão na correria o dia inteiro, tem dia que mal conseguem almoçar, aí quando chegam em casa, querem descontar e comer tudo de uma vez, o que é um grande erro”, explica.

E o cafezinho no período da tarde? Quem precisa dormir melhor deve passar longe. O ideal é não tomar nada com cafeína após as 15 horas, mas se a pessoa não abre mão de uma bebida quente à tarde ou no lanche da noite, a preferência deve ser por chás, como os de melissa, erva doce, erva cidreira ou camomila.

“Outra dica é não tomar muita água perto da hora de deitar porque isso vai provocar vontade de ir ao banheiro a noite toda e, ficar acordando, também prejudica a qualidade do sono”, alerta Braun.

Segundo a especialista, entre os alimentos que devem ser evitados por quem busca uma noite de sono com mais qualidade estão: café, chocolate, chás mate, preto e verde, refrigerantes, pimenta e gengibre por conter cafeína ou acelerar o metabolismo.

“Há diversos estudos sobre a relação entre a privação do sono e a obesidade por desníveis dos hormônios da fome, a grelina, e da saciedade, a leptina, que sofrem alterações quando o sono está desregulado. Isso também pode ser observado entre as crianças, pois o consumo de alimentos ultraprocessados, de difícil digestão, e o uso excessivo de telas, prejudicam muito a qualidade do sono, e consequentemente, aumentando os níveis de obesidade”, conclui a especialista.

Publicidade