Lipofracionada é novidade menos invasiva

Procedimento realizado em pequenas partes do corpo garante recuperação mais rápida


Para muitas pessoas, vale de tudo para ficar com o corpo bonito, seja dietas mirabolantes até procedimentos estéticos mais modernos. A lipoaspiração, por exemplo, é uma das técnicas mais realizadas no Brasil, perdendo apenas para o procedimento de aumento das mamas. Agora, uma nova modalidade de cirurgia começa a ganhar espaço entre as brasileiras: a lipofracionada.

Como o próprio nome já diz, ela é uma lipoaspiração realizada em pequenas partes do corpo. Como explica a cirurgiã plástica Luciene Oliveira, da Clínica Leger, enquanto a lipoaspiração comum é feita em flancos, abdômen e culotes de uma única vez, a fracionada é feita em apenas uma área por vez, a partir da escolha da paciente.

Foto: Adobe Stock
Lipofracionada garante uma recuperação mais rápida ao paciente

“O procedimento realizado por partes tem algumas vantagens, como um menor trauma cirúrgico e uma recuperação mais rápida, já que a paciente precisa de menos repouso no pós-operatório. Além disso, dependendo do local e da quantidade a ser aspirada, essa lipo pode ser feita somente com anestesia local”, garantiu a especialista.

Apesar das vantagens, a lipofracionada também possui alguns pontos negativos. Para Luciene, como a área aspirada é menor, muitas vezes os pacientes demoram mais para obter o resultado desejado. “O número maior de intervenções para obter o resultado final aumenta a chance de reações medicamentosas”, completou.

A especialista ressaltou, no entanto, a necessidade de realizar esse tipo de procedimento em um local especializado.

“Em geral, costumam aparecer muitas nomenclaturas para a cirurgia de lipoaspiração, geralmente visando atrair pacientes mais medrosos. Entretanto, ela segue sendo procedimento médico, cirúrgico e como tal deve ser feito com todos os cuidados necessários para garantir a segurança do paciente. Devemos tomar cuidado com os nomes da moda”, disse.

QUEM PODE SE BENEFICIAR

Apesar de ser uma técnica mais simples e menos invasiva, a lipofracionada é mais indicada para pacientes mais magras e com gordura corporal bem localizada; do contrário, a lipoaspiração convencional pode trazer mais benefícios aos pacientes.

“Pacientes com necessidade de retirada de gordura de médio a grande volume, com modelação, não são bons candidatos à lipofracionada”.

Luciene apontou que uma avaliação profissional vai indicar qual a melhor opção para cada tipo de pessoa. “Lipoaspiração é sempre lipoaspiração. Existem muitos nomes que visam minimizar os riscos aos olhos dos pacientes, mas médicos sérios explicam o procedimento e, independente das áreas a serem ligadas, combinam junto o que é melhor e mais seguro”.

Sempre atualizada

Criada no ano de 1978 pelo cirurgião francês Yves-Gerard Illouz, a lipoaspiração é uma das técnicas mais realizadas no Brasil. Somente em 2016 foram feitas quase 230 mil cirurgias desse tipo no País, de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. A lipo só perde para a de aumento de mama, que contabilizou 288 mil procedimentos no mesmo ano.

A lipoaspiração ficou ainda mais famosa nos anos 2000 e, de lá para cá, vem sempre passando por novidades, visando a melhora dos resultados. Entre as novidades, a lipo de alta definição é ideal para pacientes que, apesar do baixo índice de gordura corporal, não conseguem definir o abdômen.

Já a vaser lipo promete uma recuperação mais rápida. No procedimento, o cirurgião injeta uma quantidade de líquidos no tecido gorduroso, emitindo ondas de ultrassom em seguida. Elas destroem seletivamente as células de gordura, que são aspiradas por meio de incisões milimétricas, sem fazer esforços e sem lesar outros tecidos vizinhos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora