25 de maio de 2024 Atualizado 17:29

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Pet

Ração para porquinhos-da-índia: entenda porque ela não é a melhor opção para o roedor

Médico veterinário especializado em animais silvestres e exóticos esclarece sobre a alimentação do pet

Por Stela Pires

13 de maio de 2024, às 07h48 • Última atualização em 13 de maio de 2024, às 07h49

Erro de alimentá-los como outros animais é uma confusão comum e que acarreta em problemas de saúde - Foto: Adobe Stock

Os porquinhos-da-índia são pequenos roedores que encantam e despertam o desejo de tê-los como pets pela sua fofura. Mas, ao contrário dos animais domésticos convencionais, como os gatos e cachorros, a alimentação deles não tem a ração como base.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O erro de alimentá-los como outros animais é uma confusão comum e que acarreta em problemas de saúde para os porquinhos, de acordo com o médico veterinário especializado em animais silvestres e exóticos Renato Sarmento, da Tratadog, de Americana.

“O principal problema na criação de porquinho-da-índia em cativeiro é justamente pelo erro de manejo alimentar. As principais doenças que a gente atende são infecções na boca e crescimento excessivo dos dentes”, disse. 

Isso acontece porque a alimentação do roedor está diretamente atrelada ao desgaste dos dentes, que podem crescer alguns milímetros por semana. Esse processo acontece durante toda a vida do animal.

A ração não é rígida o suficiente para que o desgaste da cadeia de dentes do porquinho-da-índia aconteça, que, ao contrário do que muitos pensam, é composta por outros 16, além dos incisivos, aqueles dentes grandes e visíveis.

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região!

A alimentação deve permitir que o pet consiga friccionar durante a mastigação. Além disso, o veterinário aponta que a ração é hipercalórica.

“É fácil de comer, então eles enchem a barriga […] e acabam ficando em sobrepeso, porque eles normalmente ficam em área restrita, não se exercitam e comem uma alimentação super calórica”, disse.

Renato explica que existem diversas opções de ração no mercado e que podem sim serem oferecidas aos porquinhos, mas como complemento à alimentação do animal. Os roedores devem comer esse tipo de alimento no máximo três vezes por semana. 

A base alimentar dos porquinhos 

A alimentação original do porquinho-da-índia é de capim e vegetais ásperos, de acordo com Renato Sarmento. A base alimentar diária do roedor é o feno, que deve ser oferecido em livre demanda ao animal.

Faça parte do Club Class, um clube de vantagens exclusivo para os assinantes. Confira nossos parceiros!

As plantas secas podem ser adquiridas em lojas especializadas. Aqueles porquinhos que vivem livres em quintais de chácaras, por exemplo, podem se alimentar do capim.

Além do feno, os tutores também podem fazer a oferta de verduras escuras, como rúcula, almeirão e espinafre. Assim como a ração, elas devem ser administradas como complementos três vezes por semana. As frutas e verduras entram na mesma classificação.

QUADRO: Como alimentar o porquinho-da-índia

Feno e capim – ofereça diariamente e em livre demanda

Tipos de complementos 

Todos devem ser ofertados cerca de três vezes por semana

  • Ração
  • Verduras escuras (ex: almeirão, brócolis e couve)
  • Legumes (ex: abobrinha, abóbora, beterraba, chuchu e cenoura)
  • Frutas (ex: maçã, pêra, caqui, melancia, melão, banana, amora, mamão e morango)

Fonte: Petz

As notícias do LIBERAL sobre Americana e região no seu e-mail, de segunda a sexta

* indica obrigatório

Publicidade