27 de fevereiro de 2024 Atualizado 09:36

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

espécies diferentes

Pets podem sim conviver em harmonia

Médica veterinária desvenda o mistério e dá dicas para garantir uma convivência saudável entre espécies

Por Stela Pires

04 de dezembro de 2023, às 08h33 • Última atualização em 04 de dezembro de 2023, às 08h34

Decidir entre a lealdade de um cão ou a fofura de um gato não precisa mais ser um problema, afinal é possível optar por uma família multiespécies e garantir uma convivência saudável entre os dois animais. O senso de que a junção dos cachorros com felinos resulta em briga caiu por terra e existem maneiras de introduzi-los para que possam ser amigos.

“Com certeza eles podem conviver bem no mesmo ambiente, mas é essencial que essa introdução seja feita de forma cuidadosa”, disse Mariana Agnese Bortolazzo, médica veterinária de pequenos animais, de Santa Bárbara d’Oeste.

Seguir as orientações de aproximação gradativa e interação com os tutores resultará em uma convivência harmoniosa entre cão e gato – Foto: Adobe Stock

De acordo com a especialista, quando um animal de uma espécie diferente chega ao lar, é necessário que os tutores façam a introdução dos pets de maneira gradual. Colocar o cão e o gato instantaneamente de frente um
para o outro pode causar sérios problemas.

“Começar trocando itens dos animais para que um sinta o cheiro do outro, e assim se acostumem com a presença”, indicou a veterinária. O passo seguinte é trabalhar formas dos dois se verem, mas sem contato direto. Portas de vidro podem ser uma opção.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Neste primeiro momento da chegada de um novo animal será necessário que cada pet tenha seu próprio espaço separado na casa. Com a aproximação gradual já em fase avançada, os dois poderão frequentar o mesmo ambiente, mas sempre com a supervisão dos tutores para evitar possíveis conflitos.

“E o enriquecimento ambiental é de extrema importância. Então eu sugiro a compra de brinquedos específicos para espécies. Isso vai ajudar a manter a cabeça desse animal ocupada, reduzindo estresse, e vai gerar um
ambiente mais agradável”, orientou Mariana.

ATENÇÃO DOS TUTORES

Mesmo com o cão e gato convivendo em harmonia, os animais ainda demandam momentos exclusivos com os seus tutores. “É de extrema importância a interação e a convivência. Dedicar tempo nunca é demais, a dedicação de tempo é crucial para construirmos laços efetivos e garantir o bem-estar deles. É uma felicidade mútua, entre eles e nós”, disse.

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região.

Seguir as orientações de aproximação gradativa e interação com os tutores resultará em uma convivência harmoniosa entre cão e gato. Alguns sinais positivos de que as espécies estão se dando bem são a curiosidade entre os dois, brincadeiras suaves, animais sem sinal de estresse e carinhos entre os dois.

Mas atenção: alguns sinais de alerta entre os pets são agressividade, vocalização, comportamento atípico, tentar fugir ou tentar brigar. Nestes casos, é sempre indicado que um especialista seja procurado.

Saiba mais | Dicas da veterinária para ter uma convivência

Introdução olfativa
Iniciar trocando objetos, como cobertores ou brinquedos, entre o cachorro e o gato para que se acostumem com o cheiro um do outro.

Espaço próprio
Deixá-los em ambientes separados inicialmente, para cada animal, garantindo que ambos tenham seu próprio espaço seguro e tranquilo.

Faça parte do Club Class, um clube de vantagens exclusivo para os assinantes. Confira nossos parceiros!

Supervisão inicial
Proporcionar encontros supervisionados, permitindo que os animais se vejam, mas com uma barreira física, como uma porta ou grade.

Reforços positivos
Associe a presença um do outro a experiências positivas, oferecendo petiscos ou carinhos durante os encontros.

Tempo de qualidade individual
Reservar momentos diários para interações individuais, garantindo que cada animal receba atenção e carinhos exclusivos.

Respeitar sinais de estresse e desconforto
Atentar-se sempre aos sinais de estresse, como orelhas abaixadas, vocalizações ou posturas defensivas.

Enriquecimento ambiental
O enriquecimento através de brinquedos e atividades enriquecedoras podem evitar o estresse, gerando uma convivência mais feliz e confortável.

Alimentação controlada
Controle e supervisione as interações durante as refeições, mantendo os animais separados para evitar disputas alimentares e possíveis brigas.

Paciência e persistência
Sempre ajustar o ritmo da introdução de acordo com as reações dos animais. A paciência é fundamental para estabelecer uma boa convivência.

Publicidade