13 de agosto de 2022 Atualizado 17:51

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Revista Pets

Nós e eles: Mel e Max são amigos desde sempre

Moradores de Santa Bárbara compartilham experiência de criar a filha na companhia de um golden retriever

Por Isabella Holouka

26 de março de 2022, às 08h35 • Última atualização em 26 de março de 2022, às 08h36

A primeira coisa que a bebê Melissa, de pouco mais de um ano, deseja fazer todas as manhãs é dar bom dia ao seu amigo canino Max, abraçá-lo, beijá-lo. Quando o golden retriever é o primeiro a acordar, é ele quem vai até o bercinho de Mel para cheirá-la.

Mel e Max com os pais, Mauro e Priscila – Foto: Arquivo pessoal

A experiência de criar a filha na companhia do cão foi planejada pelos pais Mauro Rober Junior, bancário de 29 anos, e Priscila Cristina Claus Rober, psicóloga de 34, moradores de Santa Bárbara d’Oeste.

“Desde o começo sonhávamos ter os nossos filhos crescendo com os animais. Pesquisamos, conversamos com médicos, buscamos conhecimento. Então deixamos o Max à vontade perto dela. Claro que, como ele é bem grandão, a gente toma cuidados, mas nunca separando, e isso foi muito bom para o relacionamento dos dois”, comenta Priscila.

“Entendemos que uma casa bagunçada é uma casa viva, então gostamos dessa bagunça gostosa”, acrescenta ainda, sobre a convivência intensa de cuidados e brincadeiras.

A escolha de um cachorro de raça dócil, amoroso com crianças e adultos, aliada à vontade do casal de incluí-lo em todas as experiências, fazem com que a família chame a atenção, faça amizades e viva muitas aventuras.

A última foi na praia, no final do ano passado, quando Mel e Max descobriram a areia e o mar juntos. “Queremos aproveitar ao máximo, já temos um perfil familiar aventureiro, e o Max faz parte dessa experiência, abrilhantando ainda mais a nossa dinâmica”, comemora a mãe.

Mauro e Priscila reforçam que a chave para conciliar bebê e pet está no planejamento familiar, no conhecimento e na consciência dos desafios do dia a dia, mas o resultado é completamente recompensador.

“Era algo que a gente gostaria de viver. O amor, a diversão que ele traz no dia a dia, o companheirismo e a importância para o desenvolvimento da criança. Vemos que ela está brincando e aprendendo bastante também”, conclui o pai.

Publicidade