25 de janeiro de 2021 Atualizado 22:21

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Motocicleta

Nova Honda CBR 650R chega com ‘traje esporte’

Modelo tem visual inspirado na Fireblade e novos recursos eletrônicos, mas mantém a mesma potência

Por Eduardo Rocha / Auto Press

03 jan 2021 às 07:40 • Última atualização 03 jan 2021 às 08:13

Houve um tempo em que as esportivas de média cilindrada se espelhavam no Moto2, da mesma forma que as superesportivas de 1.000 cm³ fazem até hoje em relação à MotoGP. Mas em termos de mercado, ter dois degraus de motos de alto desempenho não fazia sentido, até porque os preços dos dois modelos eram muito próximos.

Foi nesse ponto que as esportivas de média adotaram um comportamento menos agressivo, apesar de manter o visual inspirado nos modelos de pista. É o caso da Honda CBR 650R. Ela tem linhas inspiradas na CBR 1000 RR Fireblade, mas tem metade da potência e custa metade do preço – a partir de R$ 42.720 sem frete incluso, segundo o site da montadora japonesa.

O modelo recebeu uma nova geração, que atualizou o design e promoveu diversas modificações no motor, sempre de olho em obedecer às normas de emissões estabelecidas no mercado europeu, mas sem perder potência. Mesmo que seja produzida em Manaus, diversos componentes são importados e é mais lógico equalizar os produtos internacionais da marca, até para ter economia de escala.

CBR 650R – Foto: Jorge Rodrigues Jorge / Carta Z Notícias

A esportiva de média cilindrada da Honda tem um motor tetracilíndrico de exatos 649 cm³, com 88,4 cv e 6,13 kgfm, gerenciado por um câmbio de seis velocidades. Na Europa, este mesmo motor rende 95 cv, mas por aqui teve de manter a potência antiga por conta dos testes de emissões de ruído feito no Brasil, que desconsideram o Efeito Doppler e avaliam o som dos modelos parados.

Apesar de ter a mesma potência da antecessora, o motor ganhou um novo comando de válvulas, com tempo de abertura na admissão 30% maior e no escape 50% superior. Com isso, o motor fica mais cheio em baixos e médios giros e permite uma curva de torque mais plana. A potência máxima dos modelos agora aparece aos 11.500 rpm, enquanto na antecessora ocorria a 11 mil giros. Com isso, a faixa vermelha também subiu em 500 giros.

CBR 650R – Foto: Jorge Rodrigues Jorge / Carta Z Notícias

O motor passou por diversas outras mudanças, como nas partes internas do bloco, na tomada de ar duplicada na admissão, pistões redesenhados, o que aumentou da taxa de compressão, e coletores de exaustão aumentados. Tudo isso para permitir que o fluxo interno dos gases ficassem mais livres.

A embreagem também mudou e agora é do tipo deslizante, com acionamento hidráulico. A CBR 650R conta também com recursos como acelerador eletrônico e controle de tração. Faltaram, no entanto, os modos de condução. Os freios foram redimensionados e o módulo de ABS tem reações mais rápidas.

CBR 650R – Foto: Jorge Rodrigues Jorge / Carta Z Notícias

O chassi agora é em aço estampado e não mais forjado, o que reduziu o número de soldas e o peso final do modelo, que ficou 4 kg mais leve, com 196 kg no total. Mas a suspensão dianteira passa a ser invertida, ou up side down, com 120 mm de curso e funções separadas em cada bengala – uma com a mola para controlar a compressão e outra com sistema hidráulico, para controlar a descompressão.

Na traseira, o sistema é monochoque com 128 mm de curso. O modelo ainda traz semiguidões e tem uma posição de condução um pouco menos agressiva que a antiga geração.

CBR 650R – Foto: Jorge Rodrigues Jorge / Carta Z Notícias

Quanto à estética, ela replica o conceito visual da Fireblade, com um contraste de cores e um jogo de partes em metal escovado que mistura estilo retrô com detalhes modernos, como o farol de led dividido. Ela é vendida nas cores vermelho com detalhes em preto e branco e cinza azulada com detalhes em laranja. Os modelos têm três anos de garantia, com direito a assistência 24 horas.

Publicidade