13 de agosto de 2020 Atualizado 07:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Saúde

A relação entre a quarentena e as espinhas

A máscara de proteção, associada ao clima de ansiedade neste período de isolamento social e piora nos hábitos alimentares podem agravar quadros de acne

Por Isabella Holouka

12 jul 2020 às 10:21

O uso prolongado de máscaras pode piorar quadros de acne nas pessoas que têm peles oleosas, e até causar pequenas espinhas naquelas que geralmente não convivem com esta situação. O médico Amarilho Soares Júnior, da Vie Privilège Clinique, em Americana, explica que as proteções causam um abafamento que podem estimular a produção sebácea da pele.

“A nossa pele naturalmente produz uma secreção sebácea para hidratação e proteção, mas o acúmulo dessa secreção predispõe a formação de acne. O atrito também pode irritar, a pele pode ficar mais sensível”, pontua.

Um efeito colateral do uso obrigatório de máscara facial durante o surto de coronavírus é o fato de estar causando acne em muitas pessoas – Foto: Adobe Stock

De acordo com ele, a acne causada pelo uso das máscaras não necessariamente será na parte coberta do rosto, já que a pele próxima aos olhos e na testa também pode ter um aumento na oleosidade e a aparição de pequenas espinhas.

O dermatologista afirma que, associado ao abafamento da pele do rosto, a ansiedade causada pelo novo coronavírus (Covid-19) neste momento de quarentena e mudanças na alimentação também podem piorar o quadro de acne.

“Por não saber o que vai acontecer e ficar em casa por mais tempo, a gente acaba comendo mais. E com esse hábito costumamos abusar de alimentos que predispõem a formação da oleosidade, o que pode piorar o problema”, explica Amarilho, citando os amendoins, doces, alimentos condimentados, lanches, pizzas.

“Tudo o que tem índice glicêmico muito alto, que libera açúcar no sangue, estimula também a acne”, resume.

Como tratar?
O médico Amarilho Soares Júnior lista recomendações para prevenir a acne causada pelo abafamento do uso de máscaras, e lembra que os cuidados valem para toda a área do rosto.

1 – Higienizar a pele
Sempre fazer a higiene da pele o mais delicadamente possível. Não precisa ser abrasivo e dê preferência a sabonetes líquidos, que não deixam resíduo.

2 – Esfoliar a pele
Uma a duas vezes por semana usar um esfoliante leve, de preferência aqueles que chamamos de microesfoliantes, bem fininhos, só para desobstruir os poros.

3 – Usar hidratante
Antes de colocar a máscara passar um hidratante para proteger a pele contra o atrito. Se usar um hidratante adequado para o tipo de pele, ele vai proteger, e a tendência é produzir menos oleosidade.

4 – Usar protetor solar
O protetor solar é o último passo no cuidado. A pele que está exposta ao sol vai receber a luz e pode ter a marca da máscara. Tem muita gente que está se esquecendo de usar o filtro.

5 – Manter a máscara limpa e seca
Usar a mesma máscara vários dias é inadequado, ela perde até o fator de proteção. Como estamos usando as de tecido, devemos lavá-las todos os dias. E as pessoas que transpiram muito devem trocar a máscara durante o dia, para mantê-la sempre limpa. A máscara suja ou suada prejudica e deixa de proteger contra o vírus”.

6 – Em casa, aproveitar o sol
E quando estiver em casa, se conseguir tomar um solzinho pela manhã também é interessante, já que o sol melhora a barreira cutânea.

7 – Buscar avaliação médica
Para os casos em que a pessoa já tinha uma acne persistente e contínua, vale a pena um médico avaliar para ver se há necessidade de um tratamento mais sério, defende Amarilho, citando terapias como a luz pulsada, peelings químicos ou microagulhamento.

Obrigatórias
O uso de máscaras, assim como a higiene e o distanciamento social, são medidas capazes de diminuir a propagação do novo coronavírus (Covid-19), segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde). O uso é obrigatório segundo decreto do governo do Estado de São Paulo.