16 de janeiro de 2021 Atualizado 15:36

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Esporte

Zé Henrique detalha VAR e apoio dado por recurso

Ex-árbitro de Americana trabalha atualmente como observador do sistema de vídeo

Por Rodrigo Alonso

09 jan 2021 às 10:16 • Última atualização 09 jan 2021 às 10:17

Atualmente na função de observador de VAR (arbitragem de vídeo), o ex-árbitro de futebol José Henrique de Carvalho, de Americana, avalia que o sistema trouxe benefícios para o Campeonato Brasileiro.

Nesta sexta-feira, durante participação no Caderno de Esportes, programa transmitido pela Rádio Clube (AM 580), ele detalhou as funções de cada profissional que atua na sala do VAR.

José Henrique de Carvalho destacou o funcionamento do VAR durante o Caderno de Esportes – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

O árbitro que comanda toda a operação é o VAR. Além dele, também existem o AVAR 1 e o AVAR 2, que atuam como assistentes. Há uma tela para cada, e o VAR observa ambas.

O VAR e o AVAR 1 são árbitros de ofício e, ao longo da partida, se revezam na observação dos lances. Enquanto um acompanha o jogo ao vivo, o outro pode, numa tela diferente, revisar uma jogada que já aconteceu.

O posto de AVAR 2, por outro lado, deve ser ocupado por um árbitro assistente, o popular “bandeirinha”. Ele ajuda, por exemplo, em momentos que requerem a aplicação da linha de impedimento.

“É ele que vai visualizar as situações da regra 11, que são os impedimentos marcados”, disse José Henrique. Essa equipe trabalha com o apoio de um operador de vídeo e só pode intervir nas decisões de campo em caso de gol, pênalti, cartão vermelho direto ou confusão de identidade (quando o árbitro aplica cartão amarelo para o jogador errado, por exemplo).

Quando o VAR identifica um lance que precisa ser corrigido ou revisado, ele aciona o árbitro de campo, que pode rever a jogada num monitor instalado à beira do campo.

Essa tela fica num local denominado ARA (área de revisão). Toda essa operação conta com a supervisão de um observador, função desempenhada por José Henrique. Esse profissional fica responsável por fiscalizar se os protocolos estão sendo aplicados.

O VAR estreou em torneios nacionais em 2018, na Copa do Brasil, e está no Campeonato Brasileiro desde 2019. José Henrique elogiou o sistema. “O VAR, realmente, é muito benéfico dentro da Série A”, afirmou.

Publicidade