27 de outubro de 2020 Atualizado 14:52

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Atriz

Juliana Paes relembra estreia como vilã nas novelas

Para viver a elegante Carolina de “Totalmente Demais”, Juliana precisou criar perfil que ia na contramão de sua “persona” tradicional

Por TV Press

05 jul 2020 às 21:12 • Última atualização 06 jul 2020 às 13:53

Juliana Paes é do tipo de profissional que marca presença em cena. Com uma personalidade despojada, olhos expressivos e uma risada marcante, a atriz enfileira personagens populares e extrovertidas no vídeo, como a recente Maria da Paz, protagonista de “A Dona do Pedaço”, que foi ao ar no final do ano passado.

No entanto, para viver a elegante Carolina de “Totalmente Demais”, sua primeira vilã no vídeo, Juliana precisou criar um perfil que ia na contramão de sua “persona” tradicional.

A vilã Carolina mantém um jogo de sedução e competição com Arthur, papel de Fábio Assunção – Foto: Divulgação / TV Globo

“No geral, faço papéis mais efusivos. A Carolina era fria nos sentimentos e no comportamento. Isso era algo totalmente diferente da minha personalidade. Mas foi muito legal vivenciar isso no vídeo”, afirma Juliana, que voltou ao ar na edição especial da trama escrita por Rosane Svartman e Paulo Halm.

Na história das sete, Carolina é diretora da fictícia revista que dá título à novela. Nascida no Bairro de Fátima, ela focou em sua carreira profissional e é referência no mundo da moda. A vilã mantém um jogo de sedução e competição com Arthur, papel de Fábio Assunção. E faz de tudo para derrubar Eliza, de Marina Ruy Barbosa, ao perceber a iminente aproximação dos dois.

Sempre bastante envolvida com seus projetos, Juliana ressalta as boas relações que construiu no “set” de trabalho ao longo dos anos. “A matéria-prima no meu trabalho é o olho no olho. Só consigo fazer uma boa cena se tiver boas relações humanas. Ser ator é viver do exercício de empatia”, defende a atriz, que é casada com o empresário Carlos Eduardo Baptista e é mãe dos pequenos Pedro e Antônio, de 9 e 6 anos, respectivamente.

Como está sendo acompanhar essa reprise da novela no horário das sete?

Juliana Paes
É um misto de emoções. Eu fiquei muito surpresa, nunca tinha visto a Globo parar com a programação desse jeito. Mas fiquei feliz pelo ato de respeito, de adesão, de solidariedade. Acho que essa é a chance de mostrarmos de novo uma história que teve tanto sucesso e que foi tão gostosa de viver.

Você tem uma linha de personagens muito populares. Como foi construir uma vilã sóbria como a Carolina?

Juliana
A Carolina Castilho foi a minha primeira vilã. Como eu não acredito em personagens maniqueístas, eu tentei fazer uma personagem que ao longo da trama vai se humanizando. Foi uma novela em que eu tive muito contato com o público jovem, algo, até então, novo para mim. Passei a ter contato e me articular mais via redes sociais, com esse público, sobretudo. Eu descobri um mundo novo.

O que mais chamou sua atenção ao longo desse projeto?

Juliana
Normalmente as minhas personagens são muito efusivas. A Carolina foi um desafio nesse sentido. Ela era um pouco mais fria com os sentimentos, um pouco mais calculista, aquele tipo de pessoa que esconde os sentimentos genuínos. Isso era algo totalmente diferente da minha personalidade. Mas foi muito legal.

Quais são as principais lembranças que você carrega desse trabalho

Juliana
As minhas melhores lembranças têm a ver com o início da minha amizade com a Marina. Nós já nos conhecíamos, mas foi ali que estreitamos os laços. A gente se entendeu muito bem, se deu muito bem. Tenho lembranças maravilhosas das nossas conversas, nossos choros quando o cansaço apertava… Tenho boas lembranças dessa amizade que se iniciou ali.

A edição especial de “Totalmente Demais” tem feito bastante sucesso e, constantemente, tem atingindo a casa dos 30 pontos de audiência. Na sua opinião, por que a novela segue gerando tanta repercussão?

Juliana
Acho que “Totalmente Demais” tem uma história deliciosa, que passa voando. O público se emociona e se diverte com essa menina tão simples que vira uma top model. E com a Carolina, essa mulher que depois de todos os erros que cometeu, adota um filho e se transforma em uma mulher plena após descobrir o que é o amor de verdade.

Você estava de folga do vídeo desde o fim de “A Dona do Pedaço”. Como tem sido esse período de isolamento social?

Juliana
Meus dias na quarentena têm sido bem atribulados. As pessoas acham que a gente fica com tempo mais livre, mas não é bem assim. Eu acordo e já tenho de ajudar meus filhos com “homeschooling”. Faço o dever com as crianças e isso toma bastante tempo. Depois do almoço consigo um tempo para fazer atividade física, mas depois já é hora do jantar, tem de dar banho e colocar as crianças para dormir. Na parte da noite consigo ver um pouco do jornal e saber o que está acontecendo no mundo. Tenho procurado não ficar vendo muito jornal ao longo do dia. A gente se reveza bastante aqui.

Como assim?

Juliana
Enquanto eu coloco o almoço, meu marido lava a louça, por exemplo. Tem sido atribulado, mas, por outro lado, estamos fazendo coisas que nunca pensamos em fazer juntos. Eu adoro jogar buraco (risos). Tenho tido partidas ótimas de buraco com meu marido.

Em 2020, você completa duas décadas na tevê. Qual o balanço que você faz da sua trajetória até aqui?

Juliana
Reconhecimento profissional não vem em um trabalho só. Fico muito feliz com todo o reconhecimento que tenho nessa altura da minha vida. Tive grandes oportunidades e cavei muitas delas também. Fui construindo as coisas com muito esforço. Batalhei muito por isso e paguei caro. E é importante dizer, porque as pessoas acham que é tudo glamour e não é. É muita renúncia e culpa por ter que deixar o filho em casa.

“Meu Pedacinho de Chão”, por exemplo, foi um projeto que me deu grandes ensinamentos e projeção, mas tive de deixar meu filho de quatro meses em casa. Tenho muitas dores, mas posso colher muitos louros profissionais. Fico muito feliz de ter o reconhecimento do público. Isso não tem preço.

Parabéns pra você

Juliana Paes encarou um aniversário bem diferente em 2020. A atriz, que completou 41 anos em março, celebrou seu novo ciclo apenas ao lado do marido e dos filhos. Por conta das medidas de isolamento social, ela não pôde organizar uma festa para muitos convidados.

A comemoração mais reservada, no entanto, trouxe também uma espécie de alívio para Juliana. “Sempre fico com preguiça de organizar, acho que as pessoas vão ter preguiça de vir na minha festa. Mas acabo sempre com comemorações lotadas e me divertindo muito. Porém, esse ano, a impossibilidade de convidar pessoas me deixou bastante serena. Engraçado, né? Por um lado, gostei bastante”, explica.

A festa familiar fez com que Juliana repensasse suas comemorações grandiosas. A atriz ficou contente de celebrar a nova idade sem uma festa luxuosa ou gigantesca.

“Foi muito gostoso. Não teve vela perfumada ou decorativa. Mas você percebe que o essencial é invisível aos olhos. O essencial era o carinho dos meus filhos e do meu marido. Ele que ajudou as crianças a fazerem o bolo”, revela.

Ensino recíproco
A quarentena fez com que Juliana Paes assumisse uma nova função. Em virtude da suspensão das aulas escolares, a atriz tem auxiliado os filhos no “homeschooling” diariamente.

“Estamos virando um pouco pedagogos. Então, as crianças precisam ter uma paciência com a gente (risos). A metodologia mudou muito ao longo dos anos. Aprendi matemática de uma forma diferente do que é ensinada hoje, por exemplo”, afirma.

As aulas “online” têm aproximado Juliana dos filhos. Desde o início da quarentena forçada, a atriz tem conseguido ser mais presente na rotina das crianças. “Estamos tendo uma troca de informações enorme. Me sinto mais próxima deles, eles querem ficar mais juntos, mais abraçados. A crise também abre essa oportunidade. Claro que tem o lado extenuante e cansativo, mas tem um lado bonito, lúdico e benéfico para essa relação de pais e filhos”, valoriza.

Instantâneas

  • Atualmente, a atriz pode ser vista na reprise de “O Clone”, que é exibida no Canal Viva.
  • Juliana fez uma participação especial em um dos episódios da série “Totalmente Sem Noção Demais”, “spin-off” de “Totalmente Demais”. A obra foi produzida exclusivamente para o Globoplay.

Publicidade