28 de setembro de 2020 Atualizado 15:12

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Alex Morenno

Fatos históricos em cena

Alex Morenno aguarda a reexibição das cenas de declaração da Independência na trama de “Novo Mundo”

Por Caroline Borges / TV Press

05 ago 2020 às 14:38

A trama de “Novo Mundo” marcou o reencontro de Alex Morenno com as novelas. Antes de viver o ambicioso Francisco, o ator estava afastado dos folhetins e seu último trabalho havia sido em um núcleo cômico. Por isso mesmo, quando viu a oportunidade para a história de Thereza Falcão e Alessandro Marson, Alex percebeu que teria um longo trabalho de construção artística pela frente.

“Ser jogado para uma novela que conta a história do nosso País, com um personagem que de fato existiu, é algo que movimenta você como ator, movimenta a imagem de como as pessoas me veem. Me dá uma chance maior de mostrar a minha versatilidade”, explica o ator, que voltou ao ar na edição especial da produção em virtude da pandemia do novo coronavírus.

Acompanhando a reprise da novela, Alex espera rever em breve as cenas da declaração de Independência – Foto: Divulgação

“Fiquei muito feliz com essa ideia de trazer de volta ‘Novo Mundo’. Eu já estava ansioso para assistir ‘Nos Tempos do Imperador’, que se passa 34 anos depois de ‘Novo Mundo’. Para o público e para nós, que fizemos a novela, ter ‘Novo Mundo’ mais uma vez é maravilhoso”, completa.

No enredo, Francisco é irmão de Domitila, papel de Agatha Moreira. Assim como a vilã, o rapaz também é dono de um caráter duvidoso. Ele aproveita da influência da Marquesa de Santos sobre Dom Pedro I, vivido por Caio Castro, para ganhar status junto ao príncipe.

Acompanhando a reprise da novela, Alex espera rever em breve as cenas da declaração de Independência. “Antes de chegar ao local, eles têm um caminho tortuoso pela frente, no meio do mato, com chuva e frio. Foi uma cena que deu trabalho gravar, nos dedicamos muito”, afirma.

De folga da tevê desde o fim de “Órfãos da Terra”, Alex tem aproveitado o período da quarentena para maratonar séries e filmes e aprimorar seu talento culinário. “Tenho treinado rigorosamente, para não ficar fora de forma, já que venho me arriscando na cozinha muito mais do que anteriormente (risos), então tenho de equilibrar tudo”, aponta.

Raio X de Alex da Silva Moreno

Nascimento: Em 20 de maio de 1978, em Bragança Paulista.

Atuação inesquecível: Na peça “O Que Eu Entendi do Que o Tom Zé Disse” 2005

Interpretação memorável: Adriana Esteves como Carminha em “Avenida Brasil”, da Globo, em 2012.

Um momento marcante na carreira: “Ano passado, quando fiz Van Gogh, no teatro, e Robson em ‘Órfãos da Terra’ ao mesmo tempo”.

O que falta na televisão: “Poesia; digo isso pensando em ‘Hoje é dia de Maria’”.

O que sobra na televisão: “Fofoca”.

Se não fosse ator, o que seria: Arquiteto.

Ator: Selton Mello.

Atriz: Fernanda Torres.

Novela preferida: “Tieta”, da Globo, de 1989.

Vilão marcante: Renata Sorrah como Nazaré Tedesco em “Senhora do Destino”, da Globo, em 2004.

Personagem mais difícil de compor: Van Gogh.

Que novela gostaria que fosse reprisada: “A Viagem”, da Globo, em 1994.

Que papel gostaria de representar: “Drácula”.

Filme: “As Horas”, de Stephen Daldry.

Autor: “Difícil de escolher, admiro vários, mas escolho o João Emanuel Carneiro, com quem nunca trabalhei e tenho vontade”.

Diretor: José Luiz Villamarim.

Vexame: “Ficar falando besteira com o microfone ligado no set”.

Uma mania: “Organização”.

Um medo: “De faltar trabalho”.

Projeto: “Voltar a fazer comédia”.

Publicidade