18 de janeiro de 2022 Atualizado 17:59

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Literatura

Pastor Ailton Gonçalves lança dois livros nesta terça-feira, em Americana

Protagonismo feminino em canções de Chico Buarque e três décadas de ordenação pastoral inspiram textos

Por Isabella Holouka

27 nov 2021 às 08:37 • Última atualização 27 nov 2021 às 08:38

“Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela / Será que ela mexe o chocalho ou o chocalho é que mexe com ela…”. As canções de Chico Buarque de Hollanda revelam aspectos sobre o universo feminino e a luta das mulheres no Brasil. Com a intenção de despertar e aguçar a audição do público para a obra dele, que é um dos maiores nomes da música popular brasileira, Ronaldo Cavalcante organizou o livro “Essas Mulheres”, lançamento da Editora Recriar.

O livro tem a participação do pastor de Americana Ailton Gonçalves Dias Filho e terá lançamento na cidade na terça-feira, dia 7 de dezembro, às 19h30, no Empório Dal Giardino Ristorante & Pizzeria, com entrada livre.
Em 550 páginas, com prefácio assinado por Mia Couto, “Essas Mulheres” reúne textos sobre músicas que de alguma forma abordam o protagonismo feminino.

Pastor Ailton Gonçalves lança “Inquietações” e participa de livro com texto sobre canções de Chico Buarque – Foto: Claudeci Junior / O Liberal

Este é o segundo livro de Cavalcante sobre a obra de Chico Buarque; ele também é organizador do livro “Cultura, Religião e Sociedade em Chico Buarque de Hollanda”, publicado pela mesma editora em 2019.

“Ronaldo é um fã incondicional do Chico Buarque, e agora ele quis organizar um livro cujo tema fosse voltado para a mulher. Ele organizou esses 70 autores e me deu a honra de ser um deles”, falou Ailton ao LIBERAL.

O artigo assinado por ele em parceria com Ronaldo trata de 5 músicas: “Morena de Angola”, que abriu esta reportagem; “A Moça do Sonho”, composta com Edu Lobo; “Nina”; “Dura na Queda” e “Ligia”, de autoria de Antonio Carlos Jobim e cantada por Chico.

“Sempre gostei das músicas de Chico Buarque, o acompanho desde ‘A Banda’ (1966)”, ressaltou Ailton. “A ideia da publicação é realçar a mulher tendo o protagonismo em sua própria vida. Cada autor deu um enfoque diferente em seu artigo, mas sempre realçando a imaginação, a luta, a resistência da mulher em um mundo extremamente machista, que sempre a coloca em segundo plano. Chico sempre exaltou as qualidades do feminino em suas canções”.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

OUTRO LIVRO
A confraternização agendada o dia 7 também comemora o lançamento de “Inquietações”, livro que celebra as três décadas de ordenação pastoral de Ailton na Igreja Presbiteriana de Americana, através de artigos que foram publicados em jornais ao longo deste período.

“’Inquetações’ fala sobre o dia a dia. São artigos sobre temas do calendário litúrgico cristão, da política americanense, temas da alma humana. O título é este porque eu vou ‘metendo a colher’ em alguns assuntos”, brincou. “Eu sempre tentei vivenciar a minha fé, mas nunca divorciada da realidade onde eu estou inserido. Afinal, eu sou um pastor, mas antes disso eu sou um brasileiro, e as decisões políticas me afetam”.

Metade do valor arrecadado com as vendas de “Inquietações” será doada à Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Americana, que na última quarta-feira (25) informou à imprensa sobre sua situação financeira delicada.

Publicidade