15 de setembro de 2021 Atualizado 08:38

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

20 anos: Déjàvu

Hopi Hari relembra personagens icônicos em edição especial da Hora do Horror

Temporada do horror no parque temático localizado em Vinhedo segue até 28 de novembro com programação diurna e percurso noturno a céu aberto

Por Isabella Holouka

13 set 2021 às 16:57 • Última atualização 15 set 2021 às 08:27

Amantes do terror têm neste trimestre a oportunidade de experimentar os ares assustadores da Hora do Horror do Hopi Hari, que completa 20 anos de realização com o tema “Déjàvu”, trazendo todas as criaturas medonhas que já atormentaram os visitantes em edições passadas. A atração icônica iniciou no último dia 3 e segue até 28 de novembro.

A reportagem do LIBERAL esteve no parque na última sexta-feira (10). O clima de medo inicia às 13h30 no Saloon Show, em Wild West, na apresentação “Horror Live Show – Amor de Sangue”, com as principais trilhas da Hora do Horror interpretadas por um casal de vampiros que aproveita o ensejo para comemorar os seus 20 anos de amor. A atração é paga à parte.

Para o público infantil, o parque temático oferece show no Klapi Klapi Show, em Infantasia, com a bruxinha Harikadabra e os seus padrinhos abóboras na Helloween Hari. Além disso, o espetáculo “Alice de Volta ao País Mais Divertido do Mundo”, que desde junho está no Theatro di Kaminda, continua como parte da grade diária de shows.

Outra novidade é a reabertura das atrações “La Mina Del Joe Sacramento”, “Katakumb” e “Cinemotion” – que está com o filme “Missão Nuclear” em cartaz.

Para o percurso noturno – momento de clímax da Hora do Horror – foram planejados corredores ao ar livre totalizando 2 mil metros quadrados, que permitem o controle do público e aumentam a segurança contra a transmissão da Covid-19. Em edições anteriores eram utilizados túneis fechados, com até 450 metros quadrados de cenografia.

Quem está no parque percebe, logo depois que o sol se põe, às 18h30, os ânimos se agitarem. Seguindo o trajeto proposto é possível vivenciar cada uma das histórias já contadas pela Hora do Horror desde a primeira edição em 2002, e encontrar os seres assustadores de cada uma. A fusão entre os portais do passado e conexão ao presente é realizada por Vidutus, uma criatura mitológica resgatada de antigas lendas.

Cerca de 150 artistas participam da atração, que vai até 20h30, interpretando personagens como o temível palhaço Demonty, o clã de bruxas de Sacrificium e o senhor das trevas Eigon. E os visitantes que quiserem incorporar um visual assustador podem fazer uma Maquiagem do Horror, serviço cobrado à parte.

Alexandre Rodrigues, o presidente do Hopi Hari desde 2019, destacou o desafio de promover neste ano a edição comemorativa da Hora do Horror, que é o período de maior visitação e faturamento do parque temático.

“Nossa grande sacada é a criação de circuitos. Primeiro com carros, com o Horror Drive Tour 2020, depois um circuito a pé, com a estreia do Dark Christmas, ainda em 2020, e ganhamos corpo com essa estratégia. Passamos a ter 2 mil metros quadrados de percurso, com cenografia espalhada, associada a iluminação e efeitos especiais, que acrescentam susto, envolvimento e experiência ao visitante”, comentou Eduardo Fernandez, Diretor de Engenharia e Manutenção do parque temático em apresentação à imprensa.

O Hopi Hari informa que todos os protocolos de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19) continuam sendo seguidos. O parque tem capacidade máxima para 26 mil visitantes, e vem recebendo entre 10 e 15 mil pessoas por dia, o que representa menos de 60% do total. Ao chegar, é preciso aferir a temperatura na entrada, utilizar a máscara de proteção durante toda a visitação e manter o distanciamento. Há pontos para higienização com álcool.

História

A primeira aparição de Vidutus foi relatada em 84 d.C., quando um camponês teve seu corpo quase todo queimado enquanto dormia. O homem sobreviveu e confidenciou a um amigo ter visto em meio às chamas um ser com buracos fundos no lugar da boca e dos olhos, sendo consumido por parasitas.

A coincidência é que, 20 anos antes desta fatídica noite, o camponês havia escapado do grande incêndio que consumiu Roma. O relato foi registrado em um livro ocultista e permaneceu na sombra do esquecimento por muito tempo.

Anos depois, outro livro de uma sociedade esotérica das antigas Antilhas registrou o nome ‘Vidutus’ em suas escrituras. Desta vez, o ser foi retratado como uma divindade da justiça, que ceifa as almas daqueles que fugiram de seu inevitável destino ou não aprenderam o que deveriam. Então, ao fazer de Hopi Hari sua morada, Vidutus mostra todo seu poder e escuridão.

SERVIÇO – “Hora do Horror 20 anos: Déjàvu”

  • Data: até 28 de novembro
  • Sessões: de sexta a domingo e em feriados, shows temáticos a partir das 13h30, e percurso noturno às 18h30 (sujeito a alterações)
  • Ingressos: Para sábados, domingos e feriados, o ‘Passaporti Uni’ está disponível por R$ 129,90. Durante às sextas-feiras ou vésperas de feriado, a entrada ganha um desconto maior, saindo por R$109,90. Já na bilheteria, o ‘Passaporti’ pode ser adquirido pelo valor de R$ 199,90.
  • Local: Hopi Hari – Rodovia dos Bandeirantes, km 72, Moinho, Vinhedo (SP)

Publicidade