17 de abril de 2021 Atualizado 20:13

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Algum Amor

Escritor de Americana lança livro sobre amor em tempos de pandemia

Novo romance de Biajoni, fala sobre o amor e acontecimentos relacionados ao momento atual

Por Isabella Holouka

30 jul 2020 às 10:39 • Última atualização 30 jul 2020 às 17:36

O novo livro do escritor americanense Luiz Biajoni talvez esteja entre os primeiros romances publicados no interior paulista envolvendo acontecimentos relacionados à pandemia do novo coronavírus (Covid-19) na narrativa.

A gravidade do avanço da doença fez com que ele adaptasse a trama ‘Algum Amor’, resultando em uma obra atual, que mistura ficção, realidade e autoficção – uma característica típica do autor.

O livro é uma obra atual, que mistura ficção, realidade e autoficção, uma característica típica do autor – Foto: Divulgação

“É a história de duas pessoas, Luiz e Stela, que se relacionaram entre 1999 e 2000, e havia uma diferença de idade entre eles. Elas se encontram brevemente em 2020, pouco antes de a personagem Stela morrer, não se sabe se de Covid-19 ou não. E há um drama que se desenvolve a partir desse encontro e da morte dela”, revela Biajoni.

Grande parte do romance se passa na atualidade, sendo que o encerramento da trama é em dezembro deste ano.

“Algum Amor” encerra um ciclo proposto pelo escritor, que envolve três obras cujas histórias se passam em Americana, incluindo “A Viagem de James Amaro”, publicada em 2017, e “Quatro Velhos”, publicada no ano passado.

Biajoni fecha o ciclo de obras com histórias que se passam em Americana – Foto: Lia Biajoni

“Optei por histórias mais intimistas, delicadas e humanas. Eu tinha uma ideia de escrever histórias que tratavam do tema da amizade e do passar do tempo, também com elementos de jazz”, conta o autor, que em 2013 ficou marcado como romancista policial com “A Comédia Mundana”, que reúne três histórias de ficção com Limeira como plano de fundo.

Outra característica da obra de Biajoni que chama a atenção é a autoficção, um recurso que segundo ele mistura traços autobiográficos por entre as narrativas e é comumente utilizado na literatura nacional e internacional.

“O personagem se chama Luiz e também é escritor. A ideia dos livros que se passam em Americana é fazer uma certa confusão intencional da minha própria história na cidade. Isso abre algumas possibilidades de leitura e confunde um pouco o leitor. Eu me coloco dentro das histórias, de alguma maneira”, comenta.

O livro ‘Algum Amor’ está disponível para pré-venda pelo site da editora Penalux, por R$ 38.

Outros livros
“A Viagem de James Amaro” traz locais fictícios e reais, dentre eles a escola Professora Risoleta Lopes Aranha, localizada no bairro São Domingos. Em “Quatro Velhos” toda a narrativa se passa no Jardim São Paulo, bairro americanense que é “quase um personagem” na história, de acordo com o escritor. Já “Algum Amor” cita a região central da cidade e a Biblioteca de Americana.

Publicidade