28 de setembro de 2020 Atualizado 22:24

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Editorial

Volta das missas

Por Redação

22 ago 2020 às 08:00

Como adiantado pelo LIBERAL, os municípios da RPT (Região do Polo Têxtil) permanecem na fase amarela do Plano São Paulo por ao menos mais sete dias. A taxa de ocupação de leitos nas cidades do DRS (Departamento Regional de Saúde) de Campinas continua abaixo do limite estipulado pelo comitê de contingência criado para combater o novo coronavírus (Covid-19).

Em Americana, a taxa tem variado. Um levantamento entre os dias 10 e 20 de agosto, por exemplo, aponta uma redução de uso de enfermarias, para casos moderados. Já em leitos para pacientes que dependem ou podem depender de respiradores, o percentual de ocupação tem sido mais alto, variando entre 53% e 68% nos últimos dias. Hospitais como Unimed e São Francisco são os que registram maiores taxas de ocupação em leitos para casos graves, com percentuais acima de 70% e 80%, recentemente.

É importante ressaltar que Americana, felizmente, possui uma rede hospitalar singular. São poucas as cidades de tal porte com quatro hospitais particulares e um municipal. Apesar de o contágio continuar, a estrutura tem sido fundamental para dar um pouco mais de segurança ao avanço nas flexibilizações permitidas.

Além da retomada do comércio, bares, restaurantes e academias, a partir deste final de semana, ao menos em Americana, voltam a ser realizadas as missas católicas. As igrejas costumam atrair um público diverso, mas composto de uma boa parcela de idosos, grupo de risco para a Covid-19.

As medidas de segurança devem ser seguidas à risca e estimuladas pelos líderes paroquiais. Assim como já dito neste espaço, a flexibilização está longe de ser a volta ao normal. A todos que puderem, o ideal ainda é o isolamento. Do contrário, é preciso diminuir o risco.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.