21 de abril de 2021 Atualizado 20:09

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Editorial

Abusos no sindicato

Por Redação

22 dez 2020 às 08:13

Uma profunda investigação do Ministério Público do Trabalho, detalhada pelo LIBERAL na edição deste domingo, traz revelações sobre o aparelhamento do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário de Americana e Região pelo então presidente, Paulo Sérgio da Silva, conhecido como Paulinho do Sindicato.

A apuração dos procuradores reuniu fortes indícios de como a entidade era usada em benefício próprio de lideranças sindicais. Uma decisão da Justiça afastou a direção no mês passado.

As situações levantadas pela investigação são absurdas, como os registros e relatos que dão conta de pagamentos feitos com verba do sindicato de serviços particulares do presidente, como conta de internet, ou o fato de a entidade ter comprado um carro do dirigente com valor acima da tabela.

Soa ainda mais inacreditável o fato de o sindicato possuir uma frota de carros de luxo, que chegam a custar entre R$ 100 mil e R$ 257 mil. Por qual razão uma entidade deste tipo precisaria de veículos deste porte se não pelo usufruto e pela ostentação de suas lideranças?

E há mais. Entre 2011 e 2014, o presidente do sindicato dividiu seus afazeres em prol dos trabalhadores com um cargo na gestão do ex-prefeito cassado Diego De Nadai. Paulinho era comissionado e revelou, em depoimento ao MPT, que não cumpria carga completa de trabalho.

A situação, além de irregular, é um flagrante de conflito de interesses, como o próprio Ministério Público bem definiu na ação: diante de uma discussão sobre a tarifa do transporte, de que lado ficaria o presidente? Do lado do governo, que prefere manter o valor baixo para a população ou do lado dos trabalhadores, que, de uma tarifa mais alta, podem esperar melhores condições de trabalho?

É preciso que os órgãos responsáveis saneiem tais abusos e punam, adequadamente, os responsáveis por eles.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.