24 de fevereiro de 2024 Atualizado 20:17

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

discussão

OAB-SP faz protesto contra abordagem policial a advogado de Sumaré: ‘viés racista’

Profissional teria sido ameaçado de ser colocado no compartimento de presos de uma viatura da PM

Por Cristiani Azanha

30 de novembro de 2023, às 09h12 • Última atualização em 30 de novembro de 2023, às 10h08

Policial militar segurou o advogado João Guedes pelo cinto durante abordagem - Foto: Reprodução/Redes sociais

A OAB-SP (Ordem dos Advogados do Brasil) seção São Paulo promoverá nesta quinta (30) um ato de solidariedade contra a abordagem policial considerada de “viés racista” a um advogado negro de Sumaré.

A ação será realizada a partir das 15 horas, na Casa da Advocacia, no Jardim Alvorada, em Sumaré.

De acordo com a entidade, o advogado João Guedes foi ameaçado de ser colocado no compartimento de presos de uma viatura da PM (Polícia Militar).

O caso aconteceu em Americana, no último dia 16, em uma mobilização de trabalhadores de uma metalúrgica.

O comando da Polícia Militar de Americana informou que foi instaurada uma sindicância para apurar a conduta dos agentes.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

A ordem destaca que ocorreu uma violência contra as prerrogativas do advogado. A OAB-SP e as subseções de Sumaré, onde o profissional está inscrito, e de Americana têm dado apoio.

No dia seguinte ao episódio, a presidente da OAB paulista, Patricia Vanzolini, participou de videoconferência com o advogado João Guedes, o presidente da OAB Sumaré, Paulo Roberto da Silva, e outros membros da diretoria da subseção local para discutir os encaminhamentos necessários contra o que chamaram de violação das prerrogativas profissionais.

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região.

A presidente estará presente no ato e reforça a importância da mobilização da advocacia da região de Americana e também de todo o interior para que acontecimentos como este não se repitam.

“É fundamental nos mobilizarmos e mostrarmos que o dr. João Guedes não está sozinho. A união de classe é muito importante nos casos de violação de prerrogativas profissionais, uma vez que a advocacia é um contrapoder, o anteparo contra o abuso”, ressaltou a presidente da OAB-SP.

Publicidade