24 de fevereiro de 2024 Atualizado 20:17

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

INVESTIGAÇÃO

DIG apreende arma e caminhonete de vereador de Sumaré, suspeito de assassinato

Vítima, um homem de 39 anos, foi baleada e atropelada; parlamentar se apresentou espontaneamente à polícia nesta terça

Por Cristiani Azanha

22 de agosto de 2023, às 18h11 • Última atualização em 23 de agosto de 2023, às 09h41

Sirineu, de vermelho na imagem, esteve na DIG nesta terça-feira - Foto: Marcelo Rocha/Liberal

Policiais civis da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Americana apreenderam, nesta terça-feira (22), um revólver e uma caminhonete do vereador Sirineu Araújo (PL), de Sumaré. O parlamentar é suspeito de ser o autor de um homicídio ocorrido na tarde de sábado, em que a vítima morreu baleada e atropelada. Ele se apresentou espontaneamente à polícia, acompanhado de três advogados.

Vereador de Sumaré se apresentou de forma espontânea nesta terça-feira – Foto: Marcelo Rocha_Liberal

Agentes da delegacia especializada fizeram diligências nesta terça para tentar esclarecer o crime. O vereador teria colaborado com as investigações.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Vídeos que circulam em aplicativos de mensagens mostram cenas em que a vítima, Rafael Emídio da Silva, de 39 anos, aparece rastejando no meio da rua e, em sequência, é atropelada por uma caminhonete, que é do vereador. O veículo será periciado.

O crime ocorreu à luz do dia, em uma rua movimentada do Jardim dos Ipês, na região do Jardim Maria Antônia, em Sumaré, e teve testemunhas, que inclusive filmaram parte da execução.

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região.

O LIBERAL apurou que o vereador não negou que esteve no local do assassinato, mas ainda não há informações sobre as circunstâncias do ocorrido. Sobre o revólver, o vereador teria alegado à polícia que “encontrou a arma caída no chão”.

ESPONTÂNEO

Nesta terça-feira, o vereador chegou a deixar a delegacia em uma viatura da Polícia Civil, com a cabeça coberta por uma blusa. Como se apresentou espontaneamente, por ora, a polícia não deve pedir a prisão temporária do parlamentar.

O vereador Sirineu Araújo, durante sessão da Câmara de Sumaré – Foto: Câmara de Sumaré/Divulgação

Desde o fim de semana, já havia a suspeita do envolvimento do vereador no crime, informação que circulava em aplicativos de mensagens, junto aos vídeos. Mas na segunda o caso foi assumido pela DIG, que investiga crimes de repercussão ou considerados de maior complexidade.

O advogado Roberto Guimarães, que acompanhou Sirineu nesta terça, disse que o caso está sob sigilo e que, por enquanto, a defesa não vai se pronunciar sobre o assunto. Um assessor do vereador que estava na delegacia também não quis falar sobre o crime.

Publicidade