23 de Maio de 2020 Atualizado 12:05

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

COVID-19

Sistema de saúde em Nova Odessa está ‘sobrecarregado’, diz Cocato

Cenário foi apresentado aos donos de academia para justificar a não reabertura do segmento

Por André Rossi

16 Maio 2020 às 08:37 • Última atualização 16 Maio 2020 às 08:38

O sistema de saúde pública de Nova Odessa está “sobrecarregado”, de acordo com o secretário de Saúde da cidade, Vanderlei Cocato. A informação foi divulgada nesta sexta-feira durante reunião com donos de academias para explicar os motivos para a não reabertura do seguimento em virtude da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Prefeito se reuniu com donos de academias – Foto: Prefeitura de Nova Odessa / Divulgação

Na reunião, Cocato disse que houve aumento expressivo na procura por atendimentos na rede pública nas últimas semanas e que um futuro agravamento da crise sanitária poderia colocar a cidade em uma “situação delicada”. Dois novos casos de Covid-19 foram registrados ontem em Nova Odessa, que chega a 19 casos confirmados, incluindo duas mortes.

“Hoje eu posso dizer que o sistema público está sobrecarregado, com 80% de sua capacidade em utilização, isso mesmo com toda a organização que fizemos, nos preparando para a pandemia”, alertou o secretário de Saúde.

O Hospital e Maternidade Municipal Doutor Acílio Carreon Garcia está com uma média diária de 200 atendimentos. Já a Unidade Respiratória do Jardim Alvorada contabiliza média de 30 atendimentos ao dia.

Na última quarta-feira, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que não vai autorizar a reabertura de academias e salões de beleza antes do fim da quarentena, em 31 de maio. O prefeito Benjamin Bill Vieira de Souza (PSDB) tem seguido as determinações do colega tucano desde o início da pandemia.

Ainda na reunião desta sexta, o coordenador do pronto-socorro do hospital, o médico Victor Heitor Gomes, afirmou que o risco de contaminação é grande mesmo se as academias funcionassem com capacidade reduzida.

“Mesmo observando todos os cuidados com a higiene, estudos mostram que o suor também é contagioso. E qual é o objetivo da quarentena? Não é evitar que alguém fique doente, porque isso é praticamente inevitável, mas fazer com que o contágio não aconteça de uma única vez, estrangulando o sistema de saúde”, explicou Gomes.

Os empresários do setor protocolaram na prefeitura no início do mês um documento com as medidas de segurança para o retorno às atividades. O secretário de Governo, Eduardo Gazzetta, disse que a prefeitura é “sensível” ao momento vivido pelas academias, mas que a retomada não é possível.

“Hoje, infelizmente, não temos amparo legal para promover qualquer flexibilização e nem mesmo condições sanitárias para isso. O protocolo de segurança apresentado por vocês será essencial na reabertura das academias, mas só quando ela for permitida”, informou Gazzetta.