04 de julho de 2020 Atualizado 15:32

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

COVID-19

Nova Odessa afasta 81 servidores do grupo de risco

Benefício foi concedido para profissionais que não tinham como atuar em home office

Por André Rossi

26 Maio 2020 às 08:10 • Última atualização 26 Maio 2020 às 11:05

A Prefeitura de Nova Odessa aprovou o afastamento remunerado de 81 servidores municipais que se enquadram no grupo de risco para o novo coronavírus (Covid-19). O benefício foi concedido porque os profissionais em questão não tinham como desempenhar suas funções em home office.

A relação foi publicada na edição de sábado do Diário Oficial da cidade. O período de afastamento começa nesta terça-feira e vai até o dia 30 de junho. Entretanto, pode ser prorrogado ou até mesmo revogado a qualquer momento de acordo com o andamento da pandemia.

O projeto de lei que permitiu o modelo é de autoria do prefeito Benjamin Bill Vieira de Souza (PSDB) e foi aprovado em regime de urgência especial pela câmara no dia 14 de maio. O servidor beneficiado deverá cumprir integralmente a quarentena e o isolamento social, que são condições estabelecidas para o afastamento remunerado.

Segundo o texto, são fatores de risco para o vírus: cardiopatia, diabetes mellitus, doença renal, doença neurológica, pneumopatia, imunodepressão, obesidade, asma, doença hematológica, doença hepática, síndrome de down, gestantes e puérpera.

De acordo com a Diretoria de Recursos Humanos, vinculada à secretaria de Administração, a prefeitura possui 214 servidores com mais de 60 anos. Além disso, há aproximadamente 50 funcionários com doenças crônicas ou comorbidades que poderiam ser beneficiados pela lei. No total, a administração conta com 1.560 servidores.

Uma comissão técnica formada por quatro servidores analisou os pedidos de afastamento. O LIBERAL questionou a assessoria de imprensa da prefeitura para saber em quais grupos os 81 servidores se encaixam, mas essas informações ainda não haviam sido tabeladas.

Podcast Além da Capa
Solidariedade e apoio aos necessitados marcam a luta contra o novo coronavírus (Covid-19) nas periferias da RPT (Região do Polo Têxtil). O LIBERAL visitou moradores do acampamento Roseli Nunes e da favela Zincão, em Americana, e da ocupação Vila Soma, em Sumaré, e observou como eles se unem para enfrentar as dificuldades provocadas pela pandemia. Nesse episódio, o editor Bruno Moreira recebe o repórter André Rossi, que esteve nas comunidades, para repercutir essa apuração.