26 de maio de 2024 Atualizado 12:01

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Hortolândia

Homem é preso em Hortolândia acusado de estupro, produzir e compartilhar pornografia infantil

Entre os vídeos apreendidos, três mostram o acusado abusando sexualmente de uma criança

Por Paula Nacasaki

13 de maio de 2024, às 14h51

Um homem de 27 anos foi preso em Hortolândia, nesta segunda-feira (13), acusado de produzir, armazenar e compartilhar arquivos de pornografia infantil. Ele também é suspeito de ter cometido abuso sexual contra uma criança de menos de quatro anos e gravado o ato.

A detenção foi possível após o cumprimento de mandado de busca e apreensão no endereço do investigado, no Jardim Amanda 2, em ação conduzida pela 1ª DIG (Delegacia de Investigações Gerais), do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) de Campinas.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Em coletiva nesta manhã, o delegado responsável pelas investigações, Luiz Fernando Dias Oliveira, relatou que o homem foi identificado por um órgão internacional, que monitora ações envolvendo pornografia infantil. As informações foram passadas à DIG de Campinas, que conseguiu chegar até o endereço do investigado.

Dentre os vídeos do suspeito, que foram analisados pelos investigadores, três deles chamaram a atenção da equipe, pois mostravam abusos sexuais cometidos pelo próprio acusado contra uma menina com menos de quatro anos de idade. Posteriormente a vítima foi identificada como sendo enteada do irmão dele – que hoje está com 4 anos de idade.

Levado à Deic de Campinas, o homem foi autuado em flagrante pelo crime de abuso sexual contra criança na internet, pelos crimes previstos no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) e por crime de estupro de vulnerável, pelo Código Penal – somadas, as penas podem chegar a 27 anos reclusão.

Quanto aos abusos sexuais cometidos contra a criança e que aparecem em três vídeos, as imagens e investigações serão conduzidas pela DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), podendo ampliar a pena do investigado.

As notícias do LIBERAL sobre Americana e região no seu e-mail, de segunda a sexta

* indica obrigatório

Publicidade