25 de junho de 2024 Atualizado 09:46

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Vendas do Dia dos Namorados decepcionam comerciantes

Movimento deste sábado foi menor do que aglomerações registradas no final de semana passado, mas ainda não se converteram em aumento nas vendas

Por Marina Zanaki

14 de junho de 2020, às 10h38

As vendas do Dia dos Namorados decepcionaram os comerciantes da região central de Americana. Mesmo com a presença de pessoas no Calçadão, as aglomerações não se converteram em vendas.

Proprietária de uma loja de roupas, Ivone Nunccio calcula que seis pessoas buscaram a loja para comprar presentes na sexta-feira (11). O usual seriam pelo menos 100 clientes nessa data.

“A venda está fraca, bem abaixo da expectativa. Pior que Dia das Mães. Você vê que tem bastante gente no calçadão, mas se analisar vai ver que são poucas com sacolas”, criticou.

Comércio relatou vendas fracas para o Dia dos Namorados – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Apesar da presença de pessoas neste sábado (13) na região central, o público no Calçadão foi menor do que aquele observado no dia 6 de junho, primeiro sábado em que o comércio pôde abrir as portas após a flexibilização da quarentena.

Gerente de uma loja de roupas, Andrea de Oliveira acredita que o movimento na área central está relacionado a pessoas que estão passeando, e não comprando.

“Tem muitas aglomerações devido a pagamentos atrasados, alguns vem comprar, mas é mais curiosidade de saber o que está acontecendo no Centro. As pessoas estão cansadas de ficar em casa, querem extravasar, sair, acredito que seja isso”, avaliou.

“Mas aglomeração a gente tem medo, precisamos é de venda”, finalizou.

O LIBERAL flagrou pessoas que não respeitam a distância mínima nos deslocamentos pelas ruas e nas filas em frente às lojas (para controlar a entrada de clientes).

Outro problema observado foi o uso incorreto de máscara e até mesmo a ausência do acessório, obrigatório em todo o Estado de São Paulo em função da pandemia.

Publicidade