26 de fevereiro de 2021 Atualizado 15:31

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Vanderlei Macris critica ato de Lira que anulou eleição: ‘autoritário’

Novo presidente da Câmara não cumpriu acordo com bloco derrotado

Por André Rossi

02 fev 2021 às 14:34 • Última atualização 02 fev 2021 às 16:13

Vanderlei integrou o bloco derrotado na disputa, que tinha como candidato Baleia Rossi - Foto: Michel Jesus - Câmara dos Deputados

O deputado federal Vanderlei Macris (PSDB) criticou o ato do novo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), que anulou a votação para os demais cargos da Mesa Diretora. A eleição ocorreu na noite de segunda-feira (1º) e a decisão foi tomada minutos depois.

Vanderlei integrou o bloco derrotado na disputa, que tinha como candidato Baleia Rossi (MDB). Antes do pleito, uma reunião entre os dois blocos definiu a distribuição dos demais cargos da Mesa com base na proporcionalidade.

Assim, o bloco de Lira teria cinco cargos, enquanto o de Baleia ficaria com quatro. Entretanto, o grupo do novo presidente argumentou que o PT – que apoiava Baleia – efetuou a inscrição às 12h06 de segunda, seis minutos depois do prazo.

Lira decidiu seguir adiante e descartou entrar no STF (Supremo Tribunal Federal) por conta da situação. A eleição foi realizada e ele venceu com 302 votos contra 145 de Rossi.  

Entretanto, ao assumir, Lira vetou a apuração dos votos eletrônicos para os demais cargos da Mesa. Além disso, determinou que a Secretaria-Geral faça um novo cálculo de proporcionalidade e já convocou uma nova eleição para esta terça-feira (2).

“Ele [Lira] anulou a eleição praticamente, o que na minha opinião é uma postura autoritária. Ele participou do acordo, eu estava lá na reunião. Ele estava preocupado da eleição dele como presidente fosse garantida. Voltou e fez o acordo”, contou Vanderlei.

Em reunião entre as lideranças do bloco derrotado na manhã desta terça, ficou definido que o grupo tentará negociar com Lira. Caso não haja sucesso, há a possibilidade de entrar na Justiça.

Na negociação inicial entre os blocos, o PT ficava com o terceiro posto mais importante da Mesa, que é a primeira-secretaria, enquanto o PSDB teria a terceira-secretaria. Caso a decisão de Lira se mantenha, o PT ficará com a quarta-secretaria.

“Se o PT aceitar participar num outro cargo mais abaixo que não primeira, talvez o acordo saia. Agora, o PSDB, na eleição passada, foi feito acordo pela segunda-secretaria. Vamos brigar para manter a segunda-secretaria”, afirmou Vanderlei.

No início da tarde de hoje, Lira sinalizou um recuo, o que abre a possibilidade de diálogo. As negociações devem se estender ao longo do dia, desde que Lira concorde em adiar a eleição. Porém, para o deputado americanense, o novo presidente “não está começando bem”.

“Foi uma postura autoritária e não correspondeu a alguém que fez um discurso minutos antes da eleição, mostrando que todos iam participar, que ninguém ia agir como rei, e ele mostrou exatamente o contrario. Dez minutos depois da eleição dele consolidada, ele vem com uma atitude dessa”, criticou Vanderlei.

“Não é correto você anular uma eleição. Ele anulou uma eleição através de uma canetada”, disse.

Publicidade