09 de julho de 2020 Atualizado 14:08

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Covid-19

Taxa de ocupação de enfermaria cai para 60% no Hospital Municipal de Americana

Já os leitos com respiradores, destinados aos pacientes com maior gravidade, estão com ocupação de 33% no município

Por Marina Zanaki

29 jun 2020 às 19:25

A taxa de ocupação de leitos de enfermaria para Covid-19 no Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, em Americana, está em 60%. Dos 20 leitos, 12 estão ocupados.

Na sexta-feira (27), a taxa de ocupação havia chegado a 100% da capacidade da enfermaria, voltada aos casos moderados.

Leitos com respiradores têm taxa de ocupação de 33% – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Os leitos com respiradores no HM para coronavírus, destinados aos pacientes com maior gravidade, estão com ocupação de 33% – cinco dos 15 leitos estão ocupados. Na sexta-feira, oito leitos com respirador estavam ocupados.

Os dados constam no boletim da Vigilância Epidemiológica desta segunda-feira (29), que traz ainda a taxa de ocupação geral no município, incluindo a rede privada.

Dos 43 leitos com respirador exclusivos para pacientes com suspeita ou confirmados para Covid-19, 26 estão ocupados, uma taxa de 60%.

Os leitos sem respirador têm taxa de 59% de ocupação – 33 dos 56 leitos na cidade estão sendo utilizados. Os dados foram fechados às 17h.

CAMPANHA
O Hospital de Campanha de Americana, montado na UBS (Unidade Básica de Saúde) da Avenida Cillos, está pronto para uso, mas ainda não recebeu nenhum paciente.

Prefeito Omar Najar visitou Hospital de Campanha de Americana – Foto: Marília Pierre/Prefeitura de Americana

O local serve como uma retaguarda para a enfermaria do Hospital Municipal, para absorver casos moderados.

O Hospital de Campanha tem 18 leitos, dos quais dois estão equipados com respiradores mecânicos, oito contam com suporte comum de oxigênio e oito podem atender casos leves.

Segundo a prefeitura, a capacidade instalada poderá ser ampliada, já que a unidade comporta ainda mais 12 leitos.

Para equipar o Hospital de Campanha, o município contou com a colaboração da empresa Suzano, que doou dois respiradores, e da empresa Ajinomoto, que doou ao município R$ 288 mil.

O recurso foi usado na aquisição de equipamentos como bombas de infusão contínua; umidificadores; aparelho de ECG de 12 canais; reanimador manual; laringoscópio; computadores com impressora, entre outros equipamentos, materiais e mobiliários.

“É muito importante termos uma estrutura como essa, pois caso a demanda se torne maior, Americana já está pronta para ampliar sua capacidade de atendimento”, disse o prefeito, Omar Najar (MDB).

A Secretaria de Saúde lembrou que o atendimento no local não será feito de forma espontânea, com portas abertas. Os pacientes serão encaminhados pelo Hospital Municipal.

Dessa forma, a orientação é que os pacientes com coronavírus continuem procurando o pronto-socorro do HM.

“O que nós desejamos é que o uso desse espaço seja por pouco tempo, mas diante qualquer necessidade, ele está pronto para absorver eventual demanda extra lá do Hospital Municipal”, disse o secretário de Saúde, Gleberson Miano.