Sessão acaba e projeto sobre fiscalização é adiado

Guardas contrários à fiscalização apelam a vereadores; base do governo na Câmara acredita em aprovação semana que vem


A sessão da câmara de Americana foi encerrada nesta quinta-feira sem a votação final do projeto que permite à Gama (Guarda Municipal de Americana) apreender produtos de ambulantes irregulares. Guardas contrários à aprovação imediata do projeto e ambulantes foram à sede do Legislativo apelar aos vereadores. A base de Omar, porém, acredita que a proposta deve ser aprovada semana que vem. Na semana passada, o texto foi aprovado por 13 a 5 em primeira discussão.

A sessão acabou no meio porque a vereadora Maria Giovana (PCdoB) pediu vistas de um veto do prefeito Omar Najar (MDB) a projeto de sua autoria que instituía a possibilidade de recorrer de multas de trânsito pelo site. Como o veto suspende o resto da pauta, nada mais pode ser votado sem que ele seja apreciado. Neste momento, houve tumulto entre o líder de governo, Pedro Peol (PV), e Padre Sérgio (PT), que criticara o veto.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Discussão na CM motivou reuniões com guardas nesta quinta-feira

Os vereadores então se reuniram, após a curta sessão, com o comandante da Gama, Marcos Guilherme, e alguns guardas e ambulantes. Depois, receberam um grupo de patrulheiros que não quer, ao menos de imediato, a aprovação do projeto.

Alguns destes guardas, que pediram para não ser identificados, defendem que o aumento de atribuições da Gama vai dificultar o trabalho. Dois deles também afirmam que o fato de ter de fiscalizar vendedores arranha a imagem da corporação, por ter de atuar contra pessoas que, por exemplo, estejam vendendo frutas irregularmente.

O diretor da corporação, Marcos Guilherme, disse que a intenção é que apenas três guardas por turno sejam autorizados a atuar na fiscalização aos ambulantes. O projeto, diz Guilherme, não vai atrapalhar o serviço principal, que é a segurança.

O diretor afirma que, se o projeto for aprovado, haverá capacitação dos patrulheiros. Guilherme diz acreditar, inclusive, que a orientação inicial deve resolver. “Em algum momento a gente vai chegar e vai orientar o ambulante. Eu acredito que não vai precisar da apreensão.”

Mudança

O vereador Thiago Brochi (PSDB) votou a favor do projeto semana passada, mas disse que vai mudar sua posição após conversar com vários guardas contrários.

Líder do governo na câmara, Peol acredita que a prefeitura deve esclarecer melhor o projeto com membros da corporação nos próximos dias. Ele crê que semana que vem a matéria passará pela Casa. Secretário de Governo, Juninho Barros também crê na aprovação da medida sem problemas para a base.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora