29 de outubro de 2020 Atualizado 00:05

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Por trás da pauta

Promessas vão de fim da Área Azul a novo shopping em Americana

Série de entrevistas com candidatos a vereador de Americana traz desconhecimento sobre função e conversas inusitadas

Por João Colosalle

18 out 2020 às 08:28 • Última atualização 19 out 2020 às 08:54

Conduzida por 15 jornalistas do Grupo Liberal, inclusive este, a inédita série de entrevistas com 471 dos 494 candidatos a vereador em Americana trouxe relatos e situações diversas e inusitadas.

As conversas com os concorrentes ocorreram entre 1º e 15 de outubro. A partir delas, o LIBERAL publicou pequenos perfis dos candidatos em seu site, como forma de ajudar o eleitor a conhecer os que disputam uma das 19 cadeiras da câmara.

As entrevistas foram feitas por telefone por editores, repórteres e estagiários do jornal. Para cumpri-las, porém, o primeiro obstáculo era justamente conseguir os contatos dos postulantes.

A maioria dos candidatos passa longe do rol de figuras públicas no município. São lideranças de bairros ou pequenos comerciantes que, conforme muitos relatos, foram convidados a se candidatar. Grande parte dos números de telefone, portanto, chegou à Redação por meio dos presidentes ou então dos líderes dos partidos.

Americana tem quase 500 candidatos que disputam uma vaga na câmara, número que é recorde – Foto: Montagem sobre fotos da Justiça Eleitoral

As conversas variaram de poucos minutos a cerca de 30 minutos. A partir de um questionário padrão, que buscava obter informações como o porquê de o candidato ter decidido concorrer ou quais suas propostas caso fosse eleito, os repórteres ouviram toda sorte de promessas, ideias e críticas.

Em boa parte das entrevistas, candidatos demonstravam total desconhecimento com a função de um vereador.

Houve quem prometesse reabrir hospital, criar vaga em creche, acabar com a Área Azul ou trazer um shopping para a cidade. Alguns até citavam um “plano de governo”.

Outro, após diversas tentativas de contato, contou com um assessor para sussurrar ao fundo da ligação as respostas à reportagem. A função de fiscalizar, uma das principais do vereador, ficou para segundo plano ou foi esquecida na maioria das entrevistas.

Mas houve quem trouxesse a necessidade de debate sobre temas apequenados nas últimas legislaturas, como violência de gênero e direitos de deficientes físicos. Apesar de ideias simples e rasas de muitos dos concorrentes, a maioria se mostra ciente dos problemas da cidade.

Ao fim de 14 dias com o telefone ao pé do ouvido, outra ocasião comum também não poderia ter ficado de fora do que ouviram os jornalistas. Os pedidos de voto foram vários, assim como a promessa de novas entrevistas – já que alguns já se consideravam eleitos. Ossos do ofício.

Os perfis dos candidatos podem ser acessados em liberal.com.br/candidatosdeamericana.

Publicidade