26 de maio de 2022 Atualizado 13:09

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Prato cheio

Prefeitura quer ceder área para igreja construir restaurante popular em Americana

Projeto é desenvolvido há dez anos pela Associação Evangélica Nazareno e atualmente funciona em imóvel alugado; são oferecidas até 120 refeições por dia

Por Ana Carolina Leal

25 Janeiro 2022, às 07h32 • Última atualização 25 Janeiro 2022, às 07h36

A Prefeitura de Americana quer ceder uma área do bairro Jardim do Lago, na região da Praia Azul, para a Igreja do Nazareno construir a sede do restaurante popular Prato Cheio, que oferece há pelo menos dez anos almoço para famílias carentes.

Área que prefeitura pretende doar; projeto foi protocolado na câmara e deve ser discutido em breve – Foto: Claudeci Junior / O Liberal

O projeto é administrado pela ONG (Organização Não Governamental) Associação Evangélica Nazareno. Além da Praia Azul, a entidade oferece, em um salão da igreja, refeições para pessoas em vulnerabilidade social que residem na região do Antônio Zanaga.

Na Praia Azul, atualmente, as refeições são preparadas e oferecidas de segunda a sexta-feira em um imóvel alugado pela associação por R$ 3 mil. Os moradores pagam R$ 2 pelo almoço.

Com a cessão da área pela prefeitura no cruzamento das Ruas Alcida Leite de Campos e Henrique Basseto, a igreja vai economizar e poder ampliar as atividades sociais como cursos de música e de costura.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

“Só na Praia Azul, servimos de 100 a 120 refeições por dia. Somos mantidos com a ajuda de empresários. Eles, inclusive, já doaram parte do dinheiro para construção do restaurante. Só estamos aguardando a liberação da prefeitura”, afirmou o pastor da igreja Nazareno do Jardim do Lago, Bento Bueno de Amarins.

O projeto de lei que autoriza o Poder Executivo a ceder a área foi protocolado na câmara no dia 13 janeiro. A propositura deve entrar em discussão nas próximas sessões ordinárias.

Pelo projeto, a concessão de uso será outorgada pelo prazo de 20 anos, podendo ser prorrogada, a critério do Poder Executivo, por igual período.

Segundo consta na propositura, pelo contrato de concessão, a igreja tem que iniciar a obra de construção no prazo máximo de 24 meses e conclui-las em até 60 meses, contados a partir da assinatura do documento.

Mão Amiga

Além das refeições por R$ 2, o restaurante popular mantém o Projeto Mão Amiga, por meio do qual é oferecido um prato de comida para aqueles que chegam sem nenhum dinheiro no local. “Às vezes a própria prefeitura indica o restaurante para essas pessoas. Sai, em média, 20 marmitas por dia”, disse o pastor.

Antes da pandemia da Covid-19, os almoços eram servidos no próprio imóvel onde são preparados, mas por conta da crise sanitária, hoje, as pessoas têm que retirar a marmita e comer em outro lugar.

Publicidade