19 de maio de 2022 Atualizado 11:39

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Saúde

Prefeitura de Americana investiga médico por ‘bater ponto’ em UBS e atender em rede particular

Denúncia foi feita pelo vereador Gualter Amado, na manhã desta segunda-feira; Secretaria de Saúde abriu sindicância para apurar o caso

Por Ana Carolina Leal

05 Julho 2021, às 16h21 • Última atualização 05 Julho 2021, às 16h55

A Secretaria de Saúde de Americana abriu sindicância para investigar denúncia feita pelo vereador Gualter Amado (Republicanos) de que o médico ginecologista Aladim de Paula Freitas Júnior, que atende na UBS (Unidade Básica de Saúde) do Jardim São Paulo, estaria fraudando o relógio de ponto. A pasta analisa ainda uma suspensão preventiva do profissional.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O parlamentar esteve na manhã desta segunda-feira (5) na UBS e flagrou o médico chegando na unidade por volta das 6h50. De acordo com o vereador, o ginecologista entra, bate o ponto e logo em seguida deixa a UBS. Gualter seguiu o carro do profissional e o viu entrando no Hospital Unimed.

Às 7h30, já de volta na unidade de saúde, o parlamentar acompanha a abertura do posto e questiona pela presença do médico. Nos vídeos gravados pelo vereador, é possível ouvir uma paciente perguntando do médico, uma vez que teria consulta marcada com ele.

Ao parlamentar, uma enfermeira pede que ele procure pela Secretaria de Saúde para informações sobre a agenda do profissional. A pasta pediu a abertura urgente de uma sindicância e a análise de suspensão preventiva. Diz ainda que, desde o início da atual gestão, foi enviado um comunicado a todos os postos da rede básica de saúde municipal, uniformizando o horário de abertura e de fechamento e que, assim, nenhum colaborador pode registrar seu ponto antes do horário.

O Ivan Maia está sempre Virando a Chave e quer te ajudar a fazer o mesmo em seu blog no LIBERAL.

O documento que pede a abertura de sindicância, assinado pelo secretário de Saúde, Danilo Carvalho de Oliveira, afirma que a denúncia fere o princípio da dignidade na prestação do serviço público e aponta condutas proibidas, considerando de extrema necessidade apurar os fatos narrados.

Filosofias do cotidiano no blog da Alessandra Olivato.

A Unimed disse que o médico integra o quadro de profissionais da instituição, mas afirmou que não vai se manifestar sobre o ocorrido. O LIBERAL tentou contato com o ginecologista por meio do número do consultório particular, deixou mensagem no Whatsapp, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

Publicidade