14 de agosto de 2020 Atualizado 11:06

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Sime Prag

Desbaratização vai começar pelo Ipiranga e Brasília

Serviço será realizado pela empresa Sime Prag do Brasil, que fechou contrato com a Prefeitura de Americana no valor de R$ 124 mil

Por Marina Zanaki

31 out 2019 às 09:33 • Última atualização 31 out 2019 às 09:34

A aplicação de veneno para combater as baratas que vivem na rede de esgoto de Americana – e assim diminuir a proliferação de escorpiões na cidade – terá início em novembro nos bairros Jardim Ipiranga e Jardim Brasília. O DAE (Departamento de Água e Esgoto) publicou nesta quarta-feira a homologação da contratação da empresa Sime Prag do Brasil para prestação do serviço.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp

A empresa foi vencedora do pregão presencial pois ofereceu o menor valor total para o trabalho – R$ 124,8 mil. Além da desbaratização, também vai aplicar veneno para combate de ratos. O edital prevê que essa etapa ocorra após a desbaratização por questões técnicas envolvendo os venenos utilizados.

De acordo com o diretor-geral do DAE, Carlos Cesar Gimenez Zappia, a empresa deve concluir o trabalho em dois ou três meses. Em fevereiro, a autarquia justificou que adiaria a contratação da empresa para o serviço – definido como “urgente” pelo prefeito Omar Najar (MDB) – para a considerada época da estiagem.

Foto: Arquivo / O Liberal
Objetivo é diminuir proliferação de escorpiões

Nesta quarta-feira, Zappia ressaltou que a aplicação deve ocorrer antes do início da temporada de chuvas.
A licitação indica a realização do serviço em 12 mil poços de visitas e aponta que a empresa será responsável pelo fornecimento dos venenos, equipamentos e mão de obra. A Sime Prag disse que o número de pessoas que vão atuar na cidade dependerá da quantidade de locais iniciais.

O edital ainda cita que a empresa deve avisar a população com antecedência sobre a dedetização, orientando quanto aos procedimentos de segurança no caso.

Ouça o “Além da Capa”, um podcast do LIBERAL

Em 2018, Americana registrou 484 acidentes envolvendo escorpiões. No primeiro semestre deste ano, foram 223 acidentes. A alta incidência desses casos, envolvendo inclusive crianças, preocupou a população da cidade, que cobrou da administração municipal controle químico no combate aos escorpiões, matando seu principal alimento, as baratas.

A aplicação desse tipo de veneno não é realizada na cidade desde a década de 1990, já que o município havia adotado a captura noturna de escorpiões como forma de combate aos aracnídeos.