Mudança de rota tira ônibus escolares do bairro Monte Verde

Informação é dos moradores do bairro de Americana; nesta segunda-feira coletivos passaram apenas na Estrada Ivo Macris


Os ônibus escolares deixaram de passar nas ruas do bairro Monte Verde, em Americana, na manhã desta segunda-feira (17). A informação é dos pais dos alunos, que procuraram o LIBERAL para reclamar da situação. Agora, para pegar um coletivo, pais e crianças devem andar até três quilômetros para chegar até a Estrada Ivo Macris.

Antes, o itinerário incluía pontos de ônibus em diversas ruas da região. Com isso, os pais se deslocavam entre curtas distâncias. “Até sexta-feira o ônibus estava entrando no bairro. Aí quando foi hoje eles comunicaram que não iam mais entrar no bairro, mas não avisaram nenhuma mãe. Eu tenho duas crianças em horários diferentes e tive que pedir para a vizinha levar a mais velha para a pista para pegar o ônibus”, afirmou a dona de casa Camila Batista, de 30 anos.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Envie uma mensagem para ser adicionado na lista de transmissão!

Foto: Divulgação
Nesta segunda-feira, os coletivos passaram apenas na Estrada Ivo Macris e não entraram no bairro

A falta de comunicação foi apontada por quatro pessoas ouvidas pela reportagem. Nenhuma delas foi avisada da mudança e só descobriram quando foram levar os filhos até um dos pontos onde os coletivos passavam.

Como o veículo não chegava, foram até a Ivo Macris e descobriram a mudança. Depois, retornaram aos antigos pontos para avisar a todos. “Fui pega de surpresa. Estava indo para o ponto, como faço todos os dias. Aí eu vi todo mundo descendo, é bem longe. Chegando lá e fiquei sabendo que a prefeitura, junto com a empresa, barrou a entrada enquanto eles não arrumarem as ruas”, disse a desempregada Karina Peruci, de 28 anos.

“Não tem condição, tem mães que trabalham e o filho vai para o ponto sozinho. Como que vai ficar uma situação dessas? O povo está revoltado. É muito longe”, relata Karina.

Os moradores reclamam que, com a alteração, o acesso a uma condução escolar ficou mais difícil. Tem pais que levam crianças em dois horários diferentes para pegar um ônibus: as 6h20 e as 7h.

O pedreiro Reginaldo da Silva, de 55 anos, calcula que da sua casa até o ponto da Ivo Macris há uma distância de três quilômetros. Um deslocamento mais demorado dificulta ainda mais a vida dos pais, relata. Ele tem duas filhas que estudam na Escola Estadual Professor Bento Penteado dos Santos, no Zanaga, e que precisam do transporte escolar.

A versão dos pais é de que os veículos não vão mais entrar no bairro por causa dos buracos da via – o local não é asfaltado e apresenta problemas, dizem moradores. A reportagem ainda ouviu que o itinerário só voltaria ao normal depois que a prefeitura promovesse obras de reparo.

Em nota, a Secretaria de Educação informou que, na sexta-feira (14), realizou uma visita ao local, com o responsável pelo transporte escolar da Sancetur, para avaliação da via de acesso ao assentamento. Algumas mães, representantes da Associação de bairro, também acompanharam esta visita e entenderam a impossibilidade da circulação dos ônibus no local.

“A secretaria já solicitou à Secretaria de Obras e Serviços Urbanos a manutenção da via, para que o veículo escolar volte a realizar o trajeto. A Sosu esclarece que vai analisar o mapa das ruas do local (tendo em vista a irregularidade) para verificar a possibilidade de atendimento”.

A Sancetur, empresa que administra o serviço de ônibus urbano em Americana, disse ao LIBERAL que os ônibus das linhas escolares não estão entrando no bairro à partir de hoje devido as ruas dos bairros estarem por processo de reparo. “Já solicitamos providencias da Secretaria de Obras para os reparos necessários para os ônibus voltarem a entrar no bairro”, informou a empresa.

Além da Capa, o podcast do LIBERAL

A trajetória do impasse em torno da lei municipal de incentivo ao esporte em Americana é o assunto desta edição do Além da Capa. Ouça:

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora