10 de abril de 2021 Atualizado 17:15

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Feminicídio

Jovem de 17 anos é morta a facadas pelo cunhado no Parque da Liberdade

Briga começou após o cunhado chamar o esposo da vítima para ir à uma balada; irmãos foram presos por feminicídio

Por Paula Nacasaki

28 mar 2021 às 09:50 • Última atualização 29 mar 2021 às 09:09

Jovem de 17 anos foi morta pelo cunhado em frente de casa, no Parque da Liberdade - Foto: Reprodução

A adolescente Kauane Cordeiro de Campos, de 17 anos, foi morta pelo cunhado na noite deste sábado (27), no Parque da Liberdade, em Americana

Segundo informações da Gama (Guarda Municipal de Americana), os patrulheiros faziam ronda pela Praça da Fraternidade, quando algumas pessoas vieram informar sobre uma briga em frente a uma residência na Rua Serra da Saudade. 

Os guardas foram ao local e quando chegaram, por volta das 21h10, viram Kauane caída ao chão, com diversos hematomas pelo corpo e ferimentos no tórax e ombro esquerdo.

O cunhado da vítima, de 22 anos, e o esposo da vítima, de 26 anos, também estavam na rua. O cunhado, apontado como autor das agressões, soltou uma faca de cozinha ao ver os guardas e se ajoelhou.

Aos guardas, o cunhado informou que os três estavam bebendo quando ele brincou com a cunhada, chamando o irmão para ir em uma balada. Então começou a discussão e Kauane lhe deu socos. Para revidar, ele pegou uma faca de cozinha.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Depois disso Kauane correu até a cozinha, pegou outra faca e na frente da casa começaram a brigar. Em determinado momento o cunhado acertou duas facadas na cunhada, uma no tórax e outra no ombro esquerdo. 

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

Kauane foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros até o Hospital Municipal Dr Waldemar Tebaldi, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade de saúde.

Os dois irmãos foram levados até a delegacia de Americana, onde receberam voz de prisão em flagrante por feminicídio.

O cunhado responde como autor e o esposo de Kauane como co-autor do crime. A dupla foi encaminhada para a cadeia de Sumaré.

Publicidade