30 de maio de 2020 Atualizado 12:08

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Manifestação

Em Americana, protestos pedem impeachment de Doria

Movimentos querem pressionar Alesp a pautar pedido de deputados do PSL

Por George Aravanis

30 abr 2020 às 22:48

Grupos políticos de direita organizam duas carreatas pelo impeachment do governador João Doria (PSDB) entre esta sexta-feira (1º) e segunda-feira (4), com concentração em Americana. O objetivo dos movimentos é pressionar o presidente da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), Cauê Macris (PSDB), a colocar em votação o pedido de impeachment feito por deputados do PSL no dia 22.

A carreata programada para esta sexta tem concentração marcada para as 10h, na Praça do Trabalhador, em Americana. O trajeto ainda está em aberto.

Júnior Velozo, membro do grupo Direita Santa Bárbara e um dos organizadores, afirma que o objetivo é a “manutenção das liberdades individuais garantidas pela Constituição Federal.”

Ele faz referência a uma das bases do pedido de impeachment apresentado na Alesp. O grupo de deputados cita, na acusação contra Doria, o acordo que ele fez com operadoras de telefonia celular para levantar os índices de isolamento durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e a fala do governador de que “poderia prender o cidadão que desobedecer a quarentena”.

A outra manifestação está marcada para segunda-feira, às 17h, em frente à Estação Cultura de Americana. Um dos organizadores, Antonio Jardas Macedo, que também coordenou duas carreatas anteriores, diz que há apoio de pessoas de 23 cidades.

A assessoria de Cauê Macris foi procurada, mas não se manifestou. A Alesp informou que o pedido de impeachment está em análise na Procuradoria da Casa.

O governo Doria manteve o posicionamento que enviou sobre a carreata pela reabertura do comércio, em que defende o direito de manifestação, mas lamenta que seja a favor da pandemia.