21 de outubro de 2021 Atualizado 23:02

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Covid-19

Em Americana, 260 doses de lote interditado da CoronaVac são recolhidas

Vigilância Epidemiológica afirmou que todas as unidades interditadas foram devolvidas na última quinta-feira

Por Pedro Heiderich

25 set 2021 às 08:33 • Última atualização 25 set 2021 às 11:12

Em Americana, 260 doses da vacina contra o novo coronavírus (Covid-19) de lote da CoronaVac-Butantan, interditadas no início do mês, foram recolhidas.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou na última quarta-feira que o Instituto Butantan, responsável pelos imunizantes, recolhesse os 12,1 milhões de vacinas que integravam os 25 lotes interditados ainda em 4 de setembro.

Lotes interditados foram recolhidos por determinação da Anvisa – Foto: Djair Pedro / SEI

Pelo menos dez estados foram afetados, incluindo São Paulo. A interdição ocorreu porque os lotes não tinham sido inspecionados pela Anvisa. Entretanto, o Governo do Estado e as prefeituras da região revelaram que não houve problemas em quem recebeu as doses.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica de Americana, todas as 260 doses foram identificadas e devolvidas na quinta ao GVE (Grupo de Vigilância Epidemiológica), por solicitação da Secretaria Estadual da Saúde sobre o caso.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

Em Santa Bárbara d’Oeste foram recolhidas apenas seis doses. A administração não revelou quantas unidades dos lotes interditados foram aplicadas no município.

Nova Odessa havia informado no início do mês que aplicou 4,4 mil doses dos lotes interditados. Foram recolhidas no município 177 doses.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O Governo do Estado e o Ministério da Saúde foram questionados sobre a reposição das vacinas recolhidas, mas não responderam até o fechamento da edição.

Em Americana, a prefeitura aplicou 21.356 doses dos lotes interditados, ainda antes de agosto. As unidades foram usadas em diversas faixas etárias, inclusive durante a xepa.

“A Vigilância Epidemiológica irá monitorar o público vacinado por 30 dias, conforme determinação, por meio de eventuais comunicações sobre eventos adversos. Até o momento, não houve nenhum registro”, diz.

Na época do anúncio da interdição, o governador João Doria (PSDB) garantiu que todos os imunizantes passaram por certificação de controle de qualidade. “A qualidade da vacina da CoronaVac é incontestável”, declarou.

Filosofias do cotidiano no blog da Alessandra Olivato.

O Estado redistribuiu quatro milhões de doses dos lotes vencidos e identificou que 224.737 não foram aplicadas ou registradas no sistema. Até então, a ordem para as prefeituras, conforme orientação da Anvisa, era para reservar e armazenar as unidades, até uma liberação pelo órgão federal.

Publicidade