24 de setembro de 2020 Atualizado 23:14

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Fase amarela

Donos de restaurantes celebram retomada: ‘agora dá para sorrir’

Estabelecimentos voltaram a atender presencialmente neste sábado; movimento no comércio não impressiona lojistas

Por André Rossi

08 ago 2020 às 15:56 • Última atualização 08 ago 2020 às 15:57

Restaurantes puderam reabrir a partir de hoje – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Mesmo usando máscara, o sorriso do empresário Ricardo Ferreira, 56, era evidente na manhã deste sábado (8). Proprietário do restaurante Casa da Vó Nena, em Americana, ele pôde retomar o atendimento presencial por conta do avanço da região para a fase 3 (amarela) do Plano São Paulo.

“Está melhor. Dá para sorrir agora. Estava muito difícil parado. Eu estava só com delivery e as empresas que eu sirvo. Era o que estava me salvando”, contou Ricardo.

A Prefeitura de Americana publicou neste sábado o decreto autorizando a reabertura dos segmentos da fase amarela. Assim como determina o Estado, bares e restaurantes podem funcionar com 40% da capacidade e por seis horas diárias. O horário limite para atendimento é às 17 horas.

José Tertolino da Silva – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Dono do Cantinho do Sabor, que fica em uma galeria da região central, José Tertolino da Silva, 72, seguiu à risca os protocolos sanitários. Além de manter as mesas distantes e exigir o uso de máscara, ele instalou um painel com senha para evitar aglomerações.

“Eu me preocupo com meus clientes e me preocupo comigo também. Não quero ver isso aqui ‘empacotado’ de gente. Quem não puder esperar um pouco, dá uma voltinha e retorna mais tarde. Cada um tem que ter consciência de que o vírus não acabou, está aí para todo mundo”, comentou José.

Bares e restaurantes podem funcionar com 40% da capacidade e por seis horas diárias – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

O analista de prevenção, Luiz Henrique da Silva, 34, foi ao Calçadão com a esposa e a filha na manhã deste sábado. Pela primeira vez desde o início da quarentena, ele conseguiu sentar em um restaurante e almoçar com a família.

“A gente estava sentindo falta de poder vir no Centro, de ficar mais a vontade, comer. A gente tem que entender a situação, claro. Não está com aglomeração, não, e o pessoal está respeitando [o distanciamento]”, disse Luiz.

A 10ª reclassificação das regiões do Plano São Paulo foi anunciada pelo Governo do Estado na sexta-feira (7) e, diferentemente do padrão, passou a valer já neste sábado, e não apenas na segunda-feira.

Comércio
Na fase amarela, os comércios de rua podem funcionar por seis horas, e não apenas quatro como era na laranja. No entanto, a movimentação para compras no primeiro dia do novo horário, véspera do Dia dos Pais, não impressionou os lojistas do Calçadão de Americana.

Segundo Márcio Humberto dos Santos, gerente de uma loja de calçados, o fluxo de pessoas estava bem abaixo do que o registrado no primeiro final de semana de reabertura, em 1º de junho, quando a região avançou para a fase laranja (2).

Movimentação no Calçadão neste sábado, 1º dia da fase amarela – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

“O povo está mais consciente para esse momento. Não deu aglomeração. A loja está aberta, mas com uma movimentação bem mais cadenciada”, afirmou Márcio.

De acordo com o presidente da Acia (Associação Comercial e Industrial) de Americana, Wagner Armbruster, há otimismo entre os lojistas em relação aos próximos dias.

“Muitos comerciantes que eu ouvi disseram que mesmo que o cliente não venha hoje comprar, eles vão ter segunda e terça, por exemplo. A população como um todo não estava esperando essa abertura maior de duras horas”, avaliou Wagner.

Publicidade