Dengue matou mulher em Americana, afirma prefeitura

Vítima morava no São Roque e esta é a primeira morte confirmada pela doença na cidade em 2019; número de casos no município já se aproxima dos 3 mil


A Prefeitura de Americana confirmou nesta quarta-feira (12) a primeira morte por dengue na cidade em 2019. Trata-se de um caso de dengue provocada pelo vírus do tipo 2. A vítima é uma moradora do bairro São Roque, de 48 anos, que chegou a ser internada em um hospital particular do município em abril, mas morreu no mesmo dia.

O nome da moradora não foi divulgado pela prefeitura, que informou apenas as iniciais V. L. S. A confirmação foi feita pelo Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo, para a Vigilância Epidemiológica de Americana, segundo a prefeitura. A cidade vive a terceira pior epidemia de dengue registrada em sua história.

Na sexta-feira (14), uma nota da prefeitura corrigiu informação divulgada sobre a morte da moradora (leia abaixo).

“Esta foi a primeira morte por dengue, confirmada laboratorialmente este ano em Americana. Ainda segue sob análise exames de outros três moradores que também morreram com suspeita da doença, sendo G. A. O. (79 anos), morador do bairro Santa Maria, V.L.R. (57 anos), morador do bairro Frezzarim e A.V. (82 anos), morador do bairro Vila Dainese”, informou a Prefeitura de Americana.

Foto: Governo de São Paulo / Divulgação
Mosquito Aedes aegypti é o transmissor da dengue

O número de casos de dengue em Americana se aproxima de 3 mil. Segundo estatísticas divulgadas na manhã desta quarta-feira (12) pela prefeitura, a cidade tem 2.856 casos confirmados. Até agora, foram 4.905 notificações.

A maior parte das ocorrências se concentra no bairro Antonio Zanaga, o mais populoso da cidade. De acordo com o boletim da Vigilância Epidemiológica, são 209 confirmações. Em seguida, aparecem bairros como Jardim América II e Cidade Jardim (veja a lista abaixo). Entre os casos confirmados, a maioria tem como vítima mulheres com idade entre 30 e 59 anos.

COMBATE

A Prefeitura de Americana tem promovido ações de combate aos criadouros de dengue na cidade. O município chegou a fazer a nebulização, mas o desabastecimento nacional de inseticida fez com o serviço fosse interrompido.

No mês passado, autoridades municipais e iniciativa privada se reuniram para discutir um trabalho integrado contra a doença, que vive nova epidemia em Americana neste ano.

Em paralelo com as discussões, o município tem feito ações de limpeza em bairros com grande incidência de casos confirmados.

Em maio, um mutirão retirou 12 toneladas de entulho e materiais inservíveis nos bairros Parque das Nações e Morada do Sol.

Nesta semana, as ações ocorrem nos bairros Santa Maria, Jardim Paulistano, Jardim Lizandra, Bela Vista, Novo Horizonte e Jardim Guanabara.

CORREÇÃO

Na sexta-feira (14), a Prefeitura de Americana divulgou nota em que corrigiu a informação de que a mulher havia morrido em decorrência de dengue hemorrágica. Na verdade, não houve manifestações hemorrágicas no caso.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora